NOVE DESCONHECIDOS - LIANE MORIARTY

Este é o mais recente livro da autora Liane Moriarty, que particularmente adoro, pois tem uma escrita instigante e suas obras têm enredos repletos de suspense e acontecimentos curiosos, inimagináveis, muitas vezes trágicos e que giram em torno de acontecimentos do nosso cotidiano. 

Posso dizer que estava muito curiosa a respeito desse no livro da autora, cuja temática fugia um pouco do habitual, no entanto achei que já sabia o que esperar da leitura e confesso que novamente Liane Moriarty conseguiu me surpreender, havia lido algumas críticas negativas a respeito do livro, contudo o livro me agradou bastante.

A narrativa começa com a quase morte da executiva Masha, descrita como uma mulher de meia idade, acima do peso e com bolsas cor-de-rosa embaixo dos olhos nitidamente verde-água, o cabelo castanho e fino preso em um coque baixo, pequeno e triste. Fumava muito, tinha a saúde gravemente comprometida pelas horas intermináveis de trabalho, estava doente devido ao ambiente corporativo. Teve uma síncope, seu coração parou, viu a morte bem de perto.  

No entanto Masha “renasceu”, abandonou a vida coorporativa, mudou o estilo de vida, sua imagem, seu corpo, se tornando uma verdadeira beldade, e abriu um spa de bem estar, adotando métodos pouco convencionais para cura de seus hóspedes. 

A promessa da Tranquillum House são dez dias de desintoxicação daquilo que está contaminando a sua vida e os resultados costumam ser pessoas transformadas em melhores versões de si mesmas. É com esse objetivo que nove pessoas – Frances, Ben, Jessica, Lars, Napoleon, Heather, Zoe, Carmel e Tony - iniciam as suas estadias.

Neste contexto, temos um grupo de pessoas que não se conhece, com diferentes idades, com traumas diversos, frustações e diferentes tragédias pessoais, em busca de conforto e escape da realidade no spa de Masha.

A autora faz de seus personagens uma verdadeira miríade de angústias e aflições: o casal que já não se reconhece mais, a profissional que já não tem o sucesso de antigamente, a mulher que foi deixada pelo marido e ficou obcecada com sua aparência e os pais que perderam o filho são alguns dos exemplos. Em alguns momentos os relatos dos personagens são chocantes e causa um desconforto profundo nos colocarmos no lugar dos mesmos, sentindo seu pânico, desespero e tristeza profunda.

 Liane consegue explorar com maestria as válvulas de escape utilizadas pelos personagens, a negação, as comidas reconfortantes, o álcool, as redes sociais, o que faz com que qualquer leitor possa se identificar com um aspecto da experiência do grupo: a privação dos nossos pequenos vícios diários. Criamos hábitos que nos entorpecem, que nos permitem fugir da realidade, o que nos leva a uma espiral, muitas vezes de pensamentos destrutivos, por querer fazer com que os outros tenham uma impressão de nós que não condiz com a realidade, com nosso caráter, nosso verdadeiro eu.
“Jéssica não conseguia se livrar da sensação de que, caso não registrasse aquele momento com o celular, significaria que aquilo não teria acontecido de verdade; não contava, não era a vida real.” (MORIARTY, 2019, p. 142)
O narrador onisciente, sempre em terceira pessoa, nos dá a cada capítulo a visão de um personagem, sem por isso deixar de lado os demais. Em “Nove Desconhecidos” não há coadjuvantes. Todos desempenham papel de protagonista em um momento ou em outro. Cada um deles traz uma história e aos poucos vamos nos conectando a cada uma. De um jeito ou de outro, todas elas funcionam e impressionam muito, pois todas são verossímeis.

Neste livro a autora se reinventa e mostra uma faceta que não transparece seus outros livros, habilmente consegue prender o leitor durante toda a narrativa, fugindo do ambiente do núcleo familiar que nos acostumamos a ver em seus outros livros, o que causou estranheza para muitos, no entanto não me desagradou e foi uma leitura muito prazerosa que indico fortemente, como de costume os personagens são complexos, enfrentam dramas pessoais muitas vezes capazes de dilacerar qualquer ser humano, como a morte de um filho sob as circunstâncias mais trágicas possíveis.

Enfim, é uma jornada intensa e transformadora sobre como somos capazes de nos reiventar e nos libertar, ressurgindo das cinzas. Sempre há esperança, sempre há um recomeço, e somos detentores de uma força que desconhecemos até sermos obrigados a recorrer a ela. Embarque nessa aventura, lições valiosas te esperam. 
***

  • Capa comum: 464 páginas
  • Editora: Intrínseca; Edição: 1ª (17 de abril de 2019)
  • Idioma: Português
  • ISBN-10: 8551004689
  • ISBN-13: 978-8551004685

SINOPSE
Nove pessoas se reúnem em um spa bem distante da cidade. A quilômetros da civilização, sem carro nem celulares, elas não têm qualquer contato com o mundo exterior. Apenas tempo para pensarem em si mesmas e se conhecerem melhor. Algumas estão lá para perder peso, algumas para tentar recomeçar a vida, outras por razões inconfessáveis até para elas mesmas. No meio de tanto luxo e mimo, sucos e meditação, todos sabem que vão precisar se esforçar nos próximos dez dias. Mas ninguém é capaz de imaginar o tamanho do desafio.
Frances Welty, escritora de romances best-sellers, chega à Tranquillum House com um problema nas costas, um coração partido e um corte no dedo extremamente dolorido. Ela logo fica intrigada com os colegas de retiro — a maioria não parece precisar de fato de um spa. Mas quem mais a deixa curiosa é a diretora. Será que ela tem as respostas que Frances nem sabia que estava procurando? Será que Frances deve colocar suas dúvidas de lado e mergulhar em tudo que o spa tem a oferecer? Ou é melhor fugir enquanto é tempo?
Não demora muito para que todos os hóspedes estejam se fazendo esta pergunta.

***
Para comprar o livro, clique Aqui. AMAZON

                                                                                                           Até a próxima, um grande beijo! 

By: Thaísa Salvador
e-mail: thaisaelloa@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário


© BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: MARY DESGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo