AS GAROTAS MADALENAS – Autor: V.S. ALEXANDER





                      Meus amores, estou aqui hoje para falar sobre o livro “As garotas Madalenas”, do autor que escreve sob o pseudônimo de V.S. ALEXANDER. É uma leitura perturbadora e dolorosamente real sobre o que acontecia (e em alguns lugares ainda acontece) dentro das instituições da Igreja Católica que “acolhiam” jovens pecadoras rejeitadas, “em desgraça”, abandonadas a sua própria sorte pela família e pela sociedade e encaminhadas para os conventos para serem regeneradas, tornando-se mulheres “decentes”. Na realidade as únicas transgressões que aquelas meninas haviam cometido era serem bonitas e com opiniões fortes demais. Confesso que, como católica, me senti envergonhada.


As garotas Madalena: Quem poderá salvá-las? por [Alexander, V. S.]O livro narra a história de Teagan Tiernan e Nora Craven e se passa na Irlanda, meados de 1960, onde a Igreja Católica radical dominava e impunha seus valores ao inconsciente coletivo. Em uma obra onde se nota um pesquisa profunda, o autor descreve com detalhes a vida daquelas meninas dentro das chamadas “lavanderias”, que eram uma espécie de reformatório. As internas, apelidadas de “Magdalene Sisters” (“Irmãs de Madalena”), eram principalmente meninas que engravidaram fora do casamento ou que tinham um comportamento considerado imoral, especialmente vítimas de estupro ou prostitutas.

O cenário é chocante e sufocador, as freiras são descritas como mulheres amargas, autoritárias, frustradas e sádicas, que infligiam às garotas sob sua guarda sofrimento físico e psíquico incomensuráveis, com a imposição de longas horas de trabalho árduo em condições desumanas, privando as garotas de qualquer vaidade ou cuidado com a imagem pessoal, cortando seus cabelos e uniformizando suas vestimentas, insultando-as e tolhendo qualquer dignidade que restasse na alma daquelas garotas.

Teagan Tiernan, uma linda jovem de 16 anos, vê sua vida virar um verdadeiro inferno com a chegada de um jovem e atraente padre na Igreja que freqüentava. O jovem padre Mark atraia olhares de todas as mulheres, mas se sentiu especialmente atraído pela jovem Teagan. Perturbado, perseguido por seu passado indecente, o padre resolve confessar-se com seu superior, que rapidamente tratou de resolver a situação jogando a pobre Teagan aos lobos. 

Quando o pai de Teagan, que nunca soube se controlar com a bebida, fica sabendo do possível envolvimento da filha com o padre, toma uma atitude drástica e a leva ao Convento das Irmãs da Sagrada Redenção. Inicia aí o verdadeiro sofrimento em que se tornará a vida de Teagan.

Nora Craven era uma jovem rebelde, ambiciosa e voluntariosa, que também devido a um enorme mal entendido acaba na Instituição. As duas garotas se tornam amigas e juntas pretendem fugir e recuperar sua vida, pois percebem que se permanecerem ali enlouquecerão ou morrerão.

Os relatos são chocantes, havia um orfanato ao lado, crianças eram dadas para adoção de forma ilegal, os bebês mortos eram enterrados ali mesmo nos arredores do muro que cercava a Instituição. Saber que situações como esta foram reais até muito tempo é desesperador e causa profunda indignação e revolta.

Por exemplo, em 2013, as autoridades irlandesas publicaram um relatório de mil páginas sobre esses comportamentos, o que levou o então primeiro-ministro Enda Kenny e as congregações religiosas a pedir desculpas públicas. Convenhamos que desculpas não são suficientes, nunca serão.

Em 2014, o primeiro-ministro irlandês Enda Kenny chamou de “abominação” a maneira como as jovens mães haviam sido tratadas e lamentou que seus filhos tivessem sido considerados como “subespécies inferiores”.

Em 2015, o governo irlandês abriu uma comissão para investigar 18 centros de nascimento que acolhiam jovens mães solteiras, para examinar sua “alta taxa de mortalidade” de recém-nascidos. Esta investigação se deu após o trabalho de uma historiadora, Catherine Corless. Segundo ela, cerca de 800 crianças nascidas em um desses centros, o Lar St. Mary das Irmãs do Bom Socorro de Tuam (oeste da Irlanda), haviam sido enterradas em uma fossa comum, entre 1925 e 1961.

Em mais de um quarto dos casos, o Estado foi responsável pelo envio dessas mulheres para essas lavanderias. Os atestados de óbito apontavam que os bebês tinham morrido de desnutrição e doenças infecciosas, como tuberculose e sarampo. Em 2017 foi encontrado um grande número de ossadas infantis.
Nos últimos anos, várias investigações revelaram a extensão das práticas de adoção ilegal de crianças nascidas de mulheres solteiras, realizadas pelo Estado irlandês com a cumplicidade da Igreja católica.

Isso não é ficção, infelizmente. Os fatos relatados na obra, em uma narrativa que mesmo dolorida não perde a delicadeza e trata com muito respeito o assunto, são trágicos e fazem parte da História, uma história macabra e sombria, de preconceito, radicalismo, dogmas, intolerância e profundo desrespeito a dignidade de qualquer ser humano.

Recomendo a leitura fortemente, é de suma importância nos tempos que estamos vivendo e para que a história não se repita, pois acredito que existem erros que não são passíveis de reparação, tais como os que foram cometidos nesse período por estas Instituições com a conivência e o silêncio eloquente da Igreja Católica.
AUTOR:
Resultado de imagem para autor V. S. Alexander

V.S. Alexander é um fervoroso estudante de história, com um forte interesse em música e artes visuais. Algumas das influências de escrita de VS incluem Shirley Jackson, Oscar Wilde, Daphne du Maurier ou qualquer trabalho das requintadas irmãs Brontë. VS mora na Flórida e trabalha em um terceiro romance histórico para Kensington.
SINOPSE: 
Dublin, 1962. Dentro dos portões do convento das Irmãs da Sagrada Redenção opera uma das Lavanderias de Madalena da cidade. Outrora um lugar de refúgio, as lavanderias haviam evoluído para sombrios reformatórios de trabalhos forçados. É para lá que a jovem Teagan Tiernan, de 16 anos, é levada pela família, depois de ter sido transformada em personagem de uma intriga que também envolvia um jovem e belo padre.

Convivendo com mulheres “em desgraça” – mães solteiras, prostitutas, menores infratoras – e garotas comuns, cujos únicos pecados se resumiam a serem bonitas ou independentes demais, Teagan faz amizade com Nora Craven, uma jovem rebelde que pensava que nada poderia ser pior do que sua miserável vida familiar.

As duas jovens se tornam reféns da Madre Superiora e de suas punições cruéis – sempre em nome do amor. Entre fracassadas tentativas de fuga, Teagan e Nora vão descobrir como é árduo o mundo exterior, principalmente para jovens de reputação arruinada.

Narrado com franqueza, compaixão e riqueza de detalhes históricos, As garotas Madalenas é um primoroso romance sobre a vida dentro dessas polêmicas instituições da Igreja Católica. É uma história inspiradora de amizade, esperança e incansável coragem.

DADOS DO LIVRO

  • Número de páginas: 282 páginas
    • Editora: Gutenberg Editora (30 de maio de 2019)
    • Idioma: Português
    • Formato: eBook Kindle
    • Autor: V. S. Alexander 
    • Tradutor:  Nilce Xavier 


                                                                                                               Até a próxima, um grande beijo! 

    By: Thaísa Salvador
    e-mail: thaisaelloa@gmail.com

















    Nenhum comentário:

    Postar um comentário


    © BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
    Criado por: MARY DESGN.
    Tecnologia do Blogger.
    imagem-logo