A Revolução dos Bichos - George Orwell


Ano: 2007
Páginas: 152
Idioma: português
Editora: 
Companhia das Letras
Sinopse:
Verdadeiro clássico moderno, concebido por um dos mais influentes escritores do século 20, A Revolução dos Bichos' é uma fábula sobre o poder. Narra a insurreição dos animais de uma granja contra seus donos. Progressivamente, porém, a revolução degenera numa tirania ainda mais opressiva que a dos humanos. Escrita em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945 depois de ter sido rejeitada por várias editoras, essa pequena narrativa causou desconforto ao satirizar ferozmente a ditadura stalinista numa época em que os soviéticos ainda eram aliados do Ocidente na luta contra o eixo nazifascista.

De fato, são claras as referências: o despótico Napoleão seria Stalin, o banido Bola-de-Neve seria Trotsky, e os eventos políticos - expurgos, instituição de um estado policial, deturpação tendenciosa da História - mimetizam os que estavam em curso na União Soviética. Com o acirramento da Guerra Fria, a obra passou a ser amplamente usada pelo Ocidente nas décadas seguintes como arma ideológica contra o comunismo. O próprio Orwell repetiria o mesmo gesto anos mais tarde com seu outro romance 1984, finalizado-o às pressas à beira da morte para que o mesmo service de alerta ao ocidente sobre o horrores do totalitarismo comunista.

É irônico que o escritor, para fazer esse retrato cruel da humanidade, tenha recorrido aos animais como personagens. De certo modo, a inteligência política que humaniza seus bichos é a mesma que animaliza os homens. Escrito com perfeito domínio da narrativa, atenção às minúcias e extraordinária capacidade de criação de personagens e situações, A revolução dos bichos combina de maneira feliz duas ricas tradições literárias: a das fábulas morais, que remontam a Esopo, e a da sátira política, que teve talvez em Jonathan Swift seu representante máximo.

Resenha:
Os animais de uma fazenda estão cansados de viver a mercê de seu dono e resolvem fazer uma revolução. Durante essa revolução eles criam algumas leis próprias e expulsam os humanos da fazenda.

Para conseguir viver de uma maneira sustentável sem depender dos humanos alguns deles, a maioria os porcos, aprendem a ler para entender melhor o andamento da fazenda. 

Os porcos então tomam a frente da situação e os animais obtém imenso sucesso vivendo sozinhos. 

Porém, um dos porcos planeja secretamente tomar o poder na fazenda, e assim acontece. Gradativamente ele começa a distorcer as leis criadas por eles em benefício próprio. 

Na sua ignorância, os animais sentem-se felizes por não mais serem escravizados pelos humanos e não percebem que agora estão sendo escravizados por sua própria raça. 

A história é extremamente reflexiva, e nos remete a diversas situações que vivemos no cotidiano, seja na política, no trabalho, na família. 

Como se estivesse intrínseco nos seres vivos a tendência a ser explorado, ou até mesmo, mudar totalmente sua índole quando é, de alguma forma, oportunizado-lhe alguma forma de poder.

Sobre o autor: Eric Arthur Blair 
Foi um jornalista, ensaísta e romancista britânico, que escreveu sob o pseudônimo George Orwell.

Sua escrita é marcada por descrições concisas de eventos e condições sociais e o desprezo por todos os tipos de autoridade. 

É mais conhecido por suas duas obras maiores: 
  • Nineteen Eighty-Four, crítica ao autoritarismo, 
  • Animal Farm, uma sátira ao stalinismo.
                                                                                                                     Por
Cristina Daitx 
Contato: cristina.scheffer@hotmail.com



Nenhum comentário:

Postar um comentário


© BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: MARY DESGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo