Poesia faz bem para saúde "VERSOS de ONTEM" faz bem para alma

SABER MAIS: clique aqui
 “Quando nos colocamos disponíveis para a leitura de versos, passamos a enxergar o mundo também de um novo jeito.” Matéria Vida Simples, ed. 194, p. 36 – 2018 – Laís Barros Martins.
Ao ler essa matéria, compreende-se a importância da poesia em nossas vidas, portanto, leitores e não leitores podem perceber a importância que o simples hábito pode ser transformador, tanto para quem absorve, quanto para quem escreve.

Na mesma matéria, a autora reforça, ainda, essa importância ao mencionar um estudo da Universidade de Liverpool, na Inglaterra, elaborada por Philip Davis.
[...] ler poesia é mais útil e eficaz em tratamentos do que livros de auto-ajuda [...] (p. 36).
A semântica complexa, os versos soltos, o Português erudito, isso tudo faz com que o cérebro trabalhe em forma de alívio, alimentando a alma.

A melhor prova disso, de que poemas faz bem, sim, para a saúde, é perceber que até mesmo o não leitor, conhece ou guarda alguns versos na memória, às vezes sem saber o motivo, apenas guardam, tais como:
“No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra.” 
NO MEIO DO CAMINHO – CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

Para os apreciadores, ler os poetas clássicos, estudar poesia de autores que ainda vivem na memória após décadas ou séculos, com seus versos fortes, é uma tradição, é lei. Mas para àqueles que gostam de uma leitura leve, gostosa, que com versos simples, encanta e faz nossos dias ficarem musicais, podem começar a apreciar os autores contemporâneos. Esses mesmos que estão ao nosso lado, embelezando a vida com as palavras, neste exato momento.
"A poesia incendeia a alma com chama ardente, quente, porém deliciosa. É capaz de transformar coração contrito em pura euforia, de fato, a poesia é remédio até para curar paixão não correspondida, quiçá tristeza descontínua, contínua, com ou sem motivo. Sou a prova viva de que essa belezura, criada pelo Divino, transmuta e muda a gente por inteiro. Quando iniciei meus devaneios pela Literatura, encontrei-me no mundo e a dor profunda do meu peito foi-se embora e seu rastro, por mim, fora transformado em linhas cursivas, claramente, em poesia de aurora. Portanto, percebo que muitos autores contemporâneos, assim como eu, escrevem como fuga de si mesmos, e acabam se encontrando nas letras, rimas e enredos, além de ter e ver a escrita como espelho da alma. Logo, a poesia atual é sem fronteiras e sem rasuras, há lugar e espaço para todos, excepcionalmente para o leitor e o seu deleite". Priscila Goes é graduada em Letras – Língua Portuguesa e respectivas Literaturas, pela Universidade Católica do Salvador (UCSal)

Um DOM de poucos, onde muitos reúnem desabafos, talento, técnicas e, o mais importante, a delicadeza do olhar em detalhes no profundo e não simplesmente ver apenas o que lhes rodeia, o que respira. Olhar, sentir, concentrar e, de repente, seu olhar transformando em palavras, que alinham em versos e, quando menos esperamos, recebemos uma linda estrofe ou poema.

Estudar poetas contemporâneos ou apreciá-los também gera saúde, e é, para muitos, mais importante que se prender aos clássicos, pois sabemos que esses estão próximos de nós, dispostos a oferecer seu olhar sobre a vida sentimental e social, confiando em nós leitores e não leitores a receber os seus desabafos.
"Nos estudos à Literatura, no âmbito acadêmico e escolar, tem-se o mesmo peso entre as disciplinas da Literatura Canônica e a Contemporânea, bem como o respeito às suas diferenças e importância, entretanto, é notório que a linguagem atual é mais gustativa para os jovens, portanto, ao utilizar os poetas contemporâneos como molde à produção textual, na escola, a atividade pode ser mais produtiva e interativa, daí já se observa a importância de dar a devida ênfase para a leitura e produção da poesia atual, além dos inúmeros benefícios que essa arte produz ao indivíduo em seu contexto mais amplo". Priscila Goes é graduada em Letras – Língua Portuguesa e respectivas Literaturas, pela Universidade Católica do Salvador (UCSal) 
Nada mais representativo no contexto poético atual, do que falar das obras do autor Marlon Moraes. Um poeta que começou, no século passado (anos 90), a rascunhar seus primeiros poemas e que embeleza as palavras neste milênio tão conturbado e distorcido de valores.
***
SABER MAIS: clique aqui
O escritor Marlon Moraes nasceu em Bom Jesus da Lapa, Bahia, a 16 de outubro de 1976. Mudou-se para belo Horizonte em setembro de 1986, onde residiu por 10 anos, iniciando a vida literária em jornais e revistas culturais.
A temporada em Juiz de Fora começa em agosto de 1996. Alguns anos mais tarde, participa do Sarau do Poeta e torna-se sequentemente, membro da Associação de Cultura Luso-Brasileira e da Academia de Letras da Manchester Mineira, como também coordenado do Sarau In Versos. 
***
Podemos sentir em cada obra, e não são poucas, sua alma desabafar, seu cuidado nas escolhas das palavras, seu talento exposto nos desígnios de estilo ou mesmo sua personalidade cravada em cada página, em cada poema, em cada verso.

O Leitor pode conhecer seus poemas CONCRETOS em *Domínio Público – Antologia Poética – Poesia. 2015. Templo Editora; podem conhecê-lo em um desabafo profundo entre dor e esperança com a obra *Mar de Sophia – Poesia. 2011. Funalfa Edições; porém, também podem conhecer sua aventura viagem pela Estrada real, na qual também leva o título da obra *Estrada Real – O Caminho do Ouro – Prosa. 2013. Funalfa Edições; recomenda-se, também, conhecê-lo como autor quase pedagógico, por meio de suas obras infantis, onde sua alma, como pai, é revelada, com zelo de passar valores simples aos seus filhos: *Timpó e o Circo da Alegria – Infantil. 2014. Templo Editora; *A Tartaruga Carla e o Pescador – Infantil. Templo. 2017. Amor Este, que ele mesmo revela, BEM MAIOR.

Escritor completo, com mais de 10 obras poéticas, 1 romance, dois livros infantis, em 2018, lançou mais um para seu acervo autoral.
SABER MAIS: clique aqui
O leitor, ou mesmo, não leitor, que quer realmente conhecer uma obra rica de sentimentos, versos simples, palavras eruditas, podem começar por VERSOS DE ONTEM,
Um livro onde...
Alma fala;
Coração desabafa;
Tem:
Uma história de amor;
Amor - GRANDE AMOR
Realidade:
Amor de ontem
Versos de hoje. 
Poemas e versos que trabalham muito a figura de linguagem, um português erudito.
Com Vocabulário – Raro – compondo palavras complexas, de laboriosa localização.
Versos Soltos ou Versos Brancos e, misturadas, (quando não segue um esquema fixo). E porque não dizer com seu próprio estilo de poetizar, composição característica de Marlon Moraes.”

É assim que sinto ao falar dessa preciosidade.

Fui convidada para participar da revisão da obra – aquela última que todo e qualquer escritor necessita antes de autorizar a impressão para gráfica – ao sentir todo o atributo inserido em cada poema; ao ler como leitora apaixonada pela arte poética; ao perceber a qualidade e zelo do escritor em escolher palavras-chave, usando e abusando de um bom Português, ao mesmo tempo que desabafa; não só recomendo ser apreciada por meio de leitura cotidiana, como, também, por meio de estudo.
Trabalhar escritores contemporâneos em escolas, estimula os estudantes a criarem o hábito e gosto pela leitura, trazendo leveza e meio aos estudos mais densos, principalmente quando o autor é acessível para projetos pedagógicos.

Portanto, é interessante que Versos de Ontem seja trabalhada em escolas, principalmente nas séries maiores, pela qualidade da escrita, pela ousadia do autor em brincar com o idioma, trabalhar figuras de linguagens, regras como semântica, estilística e a elegância da fonologia, com a sonoridade dos versos ou mesmo do poema; todavia, mais que isso, por ser um livro poético de uma alma que quer superar e desabafar sobre a vida, entre erros e acertos.
  
Podemos sentir VERSOS DE ONTEM, por meio da página 36 ou contracapa, a tenuidade do autor com os títulos interpretativos. A infinita perspectiva que pode-se ter em cada poema, seja no campo sentimental, sentindo apenas o desabafo ou, até mesmo, interpretar aliando a filosofia ao buscar o verdadeiro significado de Maya (conceito da ilusão que resume-se a natureza do universo, espaço e tempo).
SABER MAIS: clique aqui

Ou mesmo seus versos livres, que mesmo soltos do poema, da página, podem ser apreciados e sentidos. 
SABER MAIS: clique aqui

É uma leitura delicada, profunda, que faz você querer ler devagar, absorvendo toda carga de sentimento, ao mesmo tempo alguns terão vontade de ler compulsivamente, como se sentisse uma história entrar na alma, instigando a curiosidade de chegar ao final como nos romances ficcionais.

Em todo o trajeto de leitura/revisão, lembrei à matéria da Revista Vida Simples, ed. 194, p. 40, que ressalta a importância da poesia para a saúde:

“Um verso é capaz de nos erguer de um abismo. A poesia, através das palavras, faz ser o que ainda não existe.”
Professor de filosofia.

E Versos de Ontem gera não só saúde, alimenta a alma, uma obra que tem de ser trabalhada, apreciada, divulgada, estimada em bibliotecas, pelos leitores, escritores e todos que apreciam a arte pela essência da alma, aliada ao bom Português e, claro, a qualidade peculiar do autor.

Que os Versos de Ontem continue a caminhada para “Versos de Hoje”, não deixando os leitores esperarem muito para nascer seu próximo trabalho autoral.
***
Quer conhecer VERSOS DE ONTEM?
Interessado em parceria com o livro? 
Entre em contato com leiturasplus@gmail.com

***
                                                                                                                 BY:
Patrícia Brito


2 comentários:

  1. Olá Paty, dá para perceber nas tuas palavras o quanto gostas de poesia. Eu, infelizmente, não nasci com esta sensibilidade, a poesia não deve apenas ser lida, ela tem que ser sentida, mas ao contrário de mim, a Larissa ama poesias, poemas, versos, enfim, tenho certeza que ela irá se deliciar com esta leitura.
    Parabéns pela matéria.
    Bjos de luz
    Vivi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Vivi! Sou sim fascinada por este gênero. É delicado! Amo muito quando o poeta confiar em desabafar em versos, aliado a técnica e brincadeira com o português. Muito mais gostoso sentir o poeta, do que só ler poemas técnicos.
      Cada um tem seu gosto literário e isso já é o bastante. Este livro esá lindo, sou suspeita e creio que a Lari irá amar e sentir, sentir cada versos.
      Gratidão infinita por todo apoio
      Você é uma alma iluminada
      Bjocas
      Patrícia Brito - www.patriciabritto.com

      Excluir


© BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: MARY DESGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo