Uma Vez Você, Uma Vez eu – Diego Martello



Livro em Caravelas-Ba

Ano: 2015
Páginas: 184
Idioma: português
Editora: Novos Talentos da literatura brasileira

SINOPSE:
Marcos e Willian, pai e filho, tentam se reconciliar após anos de desentendimento. Em paralelo, Eva, mulher de Willian, quer a todo custo engravidar, o que frustra o casal. A partir da visão do interior de cada um, esses personagens terão de reconfigurar o modo de pensar para enfrentar os seus conflitos. Nessa fase tão conturbada para todos, reflexões acompanham cada segundo da trajetória deles.

Narrada de forma surpreendente, provocativa e crítica, esta obra não tem a pretensão de apresentar soluções para os problemas enfrentados, mas, sim, mostrar as armadilhas de nosso fluxo de consciência, para compreendermos que as soluções dos problemas dependem, muitas vezes, da forma como se lida com as ilusões, ou, ao contrário, como se enxerga verdadeiramente a realidade.

RESENHA

“Não há mudanças sem esforço dobrado, pois é este que nos faz sairmos da inércia atual para uma situação diferente que esperamos que seja melhor.” (p.79)

Uma vez você, uma vez eu, é uma obra sublime, onde relacionamento e afeto tem posição de destaque em todas às páginas.

Delicada nas palavras e no enredo, Diego Martello, estreia com esse livro, na melhor forma de conduzir o assunto.

Diego é formado em Administração e Comércio Exterior, trabalha com projetos automobilísticos e tem a leitura como hobby que leva à sério. Com este hobby, ele liberou suas forças, para escrever seu primeiro romance e poder presentear apreciadores, com uma leitura inspiradora, onde, a vida, com seus acertos e erros, edificam a alma. (Clique Aqui e  conheça mais sobre o autor) 

“ O comodismo costuma me prender, sem que eu perceba, a um caminho em que crio e destruo as mesmas coisas diariamente, onde corro em círculos com a sensação de estar cada dia mais em uma vida melhor, quando, na verdade, estou parado no mesmo lugar provando da mesma gota de vida, repetidamente.” (p.35).

A obra divide-se em 4 capítulos. Quando perdido, volto para te ver, seguindo do segundo: Conheça meu mundo por um impulso. O terceiro; Quando os tenho próximos, os perco novamente e finaliza com: Abandono tudo para recomeçar.

Cada capítulo, cada título, é bem sugestivo ao enredo.

Willian, o protagonista e seu pai, o Marcos, como co-protagonista. Ambos vivenciam momentos de conflitos, também de afastamento, por erros do passado e teimosia do presente.

A estória gira em torno de pai e filho, mas também tem presenças importantes dos coadjuvantes, que fazem toda diferença, como: a Eva, esposa de Willian e a mãe Alberta.

Em falar na Alberta, é quando ela adentra na estória, que a obra segue um rumo inacreditável. Um momento de virada, ou nostálgico, cada leitor tirará suas conclusões; o fato é que, o encontro de Willian e Alberta, não é nada convencional, natural. Ao mesmo tempo é tudo muito encantador, delicado. E desse mesmo reencontro, que nascem novas oportunidades, um novo rumo.

“... por trás dos números havia sempre algum sentimento e que, para entender as formulas, era preciso entender primeiramente as sensações que deram origem a elas.” (p.69)

Pais estremecidos têm a oportunidade de recomeçar. O conflito é por conta da empresa da família, que por um erro assumido de Willian, faz todo o negócio desandar.

A oportunidade começa meados do primeiro capítulo, quando, o protagonista recebe a notícia de que o pai acidentou-se de moto. Ao visitá-lo, o filho, recebe um pedido especial de seu pai e, mesmo sendo hostil e quase não aceitando, seu coração percebe a oportunidade que momento oferece resolvendo assim, atendê-lo. E é nesse momento que todo o enredo encaminha para cenas afetuosas, sublime e até mesmo sobrenatural.

Página especial


Mas ainda não satisfeito, o escritor novamente nos surpreende com o desfecho de um capítulo especial. Leitura singular. Na verdade, é um convite ao leitor, para ir adiante e não parar. 


Escrita suave, contemporânea, agradável de apreciar. Narrado em primeira pessoa, às vezes deixando transparecer que o narrador é onisciente, talvez pelo momento celestial no enredo. 

Enredo este que permite reflexão a cada página, a cada capítulo.

“ O pessimismo e otimismo são frutos de uma ciência incerta.” (p.45)

O destaque da obra fica por conta da intensidade dos diálogos, e as lições que ficam por meio deles. A ressalva que faço é os capítulos longos, mas puramente pessoal, não atrapalhando em nada a leitura, por ter bons intervalos.



Nota máxima e recomendo todos conhecerem a profundeza de uma vida, com erros e acertos, por meio deste. 




Patrícia Brito

Nenhum comentário:

Postar um comentário


© BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: MARY DESGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo