Ninguém escreve ao Coronel - Dica de Leitura - TMartins


Como #dica de leitura deste mês tentei fugir um pouco dos Pessoas, Clarices, Machados, quero algo mais sonoro e só me vem o velho Gabo, conhecido também por Gabriel García Márquez. (Vale muito a pena dar um googlada e descobrir, realmente, de quem eu estou falando, caso ainda não saiba! – Não foi só o Pablo Escobar que fez história na Colômbia, viu? -).

Acho que devo começar com o primeiro livro que li desse autor (Sim, o teremos novamente aqui).



ISBN-13: 9788501016553
ISBN-10: 8501016551
Ano: 1999 / Páginas: 96
Idioma: português 
Editora: Record















Em “Ninguém escreve ao Coronel” Gabo com seus 29 anos já se mostra politicamente e socialmente ativo na sua escrita, mostrando no enredo um coronel sem apoio do governo e com dificuldade de receber a aposentadoria vivendo a beira da miséria com sua esposa e um galo de rinha.

O livro às vezes repetitivo, já mostra bem o estilo do García em tratar de forma muito “nua” a dura realidade. E assim o Coronel religiosamente as sextas-feiras vai até o correio buscar a tão esperada carta da aposentadoria que parece nunca chegar...

É um livro duro, pois fala de problemas sociais, ditadura, abandono, esperança e solidão. Porém, tudo isso é tratado de forma muito simples, quase natural já no seu melhor estilo do Gabo! 

Um romance curtíssimo daqueles que se ler numa tarde.  

Dizem que esta obra foi o ‘começo’ de cem anos de solidão, prefiro achar que é só mais uma estória de um homem solitário, esperando o passar do tempo da forma mais covarde. Como tantos outros fazem...



TMartins


Leia Mais ››

A Última Dança - Marcos A. Junior






Os dois ponteiros haviam acabado de se encontrar na posição mais elevada daquele relógio quando, acobertados pelos fogos de artifício que marcavam a chegada de mais um ano, aqueles sons muito similares ao dos rojões estourando fizeram sua maior vítima daquela noite. Elizabeth, a mais nova habitante do outro mundo.

O corpo caído no chão, seu vestido novo com uma mancha de sangue que quase alterava a cor original e muitos sonhos jogados fora. Os cumprimentos só deram lugar à preocupação quando os fogos de artifício pararam de iluminar o céu escuro, sem estrelas, e os olhares puderam observar, na retaguarda, aquele corpo esguio, porém bem definido, jogado ao relento. Os gritos de Feliz Ano Novo deram lugar aos gritos de desespero. Aos familiares só restava à dúvida cruel de saber como aquela aquilo havia acontecido. Uma jovem, no auge dos seus dezoito anos, um futuro promissor pela frente, agora, aguardava a ambulância, desacordada, enquanto os outros viam todos àqueles planos irem por água abaixo.

Sua personalidade forte não se assemelhava em nada com os passos de ballet que fazia em suas muitas horas de ensaios na escola mais desejada por qualquer bailarino do país. Assim como qualquer outra jovem da mesma idade, os hormônios a deixavam uma pilha de nervos quando se deparava com qualquer tipo de problema, por menor que eles fossem. O culpado, por aquele que poderia ser o fim daquela maravilhosa existência, não imaginava quanto desejo de futuro existia naquela garota.

Desde pequena sempre teve sonhos de se tornar uma bailarina profissional. Não conseguia imaginar sua vida sendo vivida de outra maneira que não fosse completamente entregue à dança. Seus pais incentivaram-na desde pequena. Quase todos os aniversários tinham o mesmo tema. Se vestir de bailarina, desde pequena, era uma rotina muito prazerosa. Seu gosto por músicas clássicas, que só pessoas desse ramo conseguem passar horas e horas escutando, veio desde quando era ainda bebê. Seus pais descobriram que, aqueles sons, eram a melhor maneira de acalmar a criança mais chorona de todo o bairro.

A única pessoa que conseguia tirar a atenção de Eli, como era carinhosamente chamada por todos que a conheciam, do mundo da dança era o (ex) namorado Mário. Os dois haviam se conhecido anos atrás e tinham uma relação extremamente prazerosa, apesar das diferenças que tinham em suas personalidades. Mario e Eli se tornaram amigos através da escola de música que ambos frequentavam. Ela, já era bailarina desde pequena. Ele, por sua vez, começara a ter aulas de violão há apenas um ano, porque achava que as meninas se tornariam mais fáceis se soubesse seduzir tocando algum instrumento. No pensamento dele, as cantadas seriam, literalmente, cantadas.

Um ano mais velho, não pela mentalidade, um pouco preso à realidade e sem nenhum sonho pra viver. Essas eram as características mais marcantes na personalidade de Mario. Um jovem que nunca levara a vida tão a sério, mas que sempre buscara o que quisera, mesmo que não das maneiras mais confiáveis. Os dois se cruzaram pela primeira vez em uma peça apresentada pela escola, onde ele tocaria algumas músicas para embalar os passos daquela que era o futuro daquela companhia. O amor à primeira vista não existiu, mas não estavam apressados para se apaixonar. Suas defesas foram caindo, pouco a pouco, e a resistência que Eli teve ao primeiro toque dos lábios dele parecia ter desaparecido totalmente quando tiveram a sua primeira vez juntos.

Mario ficaria marcado eternamente na memória da pequena bailarina. Havia sido o primeiro homem da sua breve vida, e se dependesse dela, seria o último.


Leia Mais ››

ShadowHunter - Ed Decter - Série.




Gênero: Série/Drama/Fantasia
Ano: 2016
Direção: Ed Decter



Olá, olá, olá... Minha resenha hoje é da série ShadowHunters da Netflix <3 18="" 2013.="" adora="" ainda="" anos="" ao="" baseada="" bem="" ca="" cassandra="" clare="" clary="" completamente.="" completar="" das="" de="" descobre="" diferente="" do="" dos="" e="" em="" enredo="" essa="" fray="" gira="" livros="" longa="" mais="" mortais="" muda="" na="" nos="" nstrumentos="" o:p="" o="" obra="" os="" que="" rie="" s="" sombras="" sua="" torno="" traz="" uma="" vida="" vis="">

#OlhaOSpoiller

Depois de ter sua mãe sequestrada pelo vilão da trama A.K.A Valentim, Clary se junta a JC, um caçador pela qual se apaixona e depois se arrepende por, digamos... laços sanguíneos... (Não chega a ser um GoT mas...), Alec, outro caçador que é secretamente apaixonado por JC, mas com o decorrer da trama se gama em outro boy “magia”. Isabelle, a irmã de Alec, uma caçadora sensual, linda, sexy, dona de um chicote poderoso, cof cof... Enfim, e Simon, o melhor amigo de Clary que por umas e outras acaba se tornando um submundano (Ele é apaixonado pela Clary, não espalhem ;) ).

A história de ShadowHunters tem um enredo bem diferente de Instrumentos Mortais, tendo mesmo como base os personagens e o foco principal das histórias, mas os caminhos são completamente diferentes, o que pode tornar a série (e o filme) um tanto estranhos para quem já leu os livros.


É uma série bem teen, nos leva para um submundo de caçadores, vampiros, lobisomens, um vilão que quer dominar tudo ao seu modo, os mocinhos que precisam enfrentar tudo isso além dos dramas jovens de amor, família, traição... O elenco não é tão conhecido nas telinhas, mas souberam desempenhar seus papeis muito bem já que, ao contrário de Instrumentos Mortais, a Cassandra não teve envolvimento na escolha do elenco.



Os malvadinhos da Netflix foram disponibilizando os episódios um a um a cada semana, sendo o último deles no dia 06/04/16, e avisando que, segunda temporada só em 2017 agora.

 #Chateado

Bom, ShadowHunters não é uma série do tipo que você se empolga por mais e mais, mas a história vai seguindo certos rumos que te prende para querer saber o que vai acontecer a cada final de episódio. Ela é bem jovem, feita em um mundo bem moderno com efeitos até que aceitáveis. 

A tecnologia é muito usada, ao contrário do livro que se passa em uma mansão empoeirada e cheia de livros. A procura pelo tão cobiçado Cálice Mortal ficou meio obvia em relação ao livro, mas é aceitável também.

Sabe aquele fim de semana que não tem nada de bom na tv e você quer assistir algo novo? ShadowHunters é uma boa opção!

Nota ****


PS: Foco na trilha sonora... É incrível!


Tom Matias


Leia Mais ››

Minissérie - A última dança - Marcos A. Junior


Oi seguidores,

A partir desta semana irá rolar uma brincadeira séria.

É o primeiro trabalho deste tipo que realizo aqui no blog, estou super empolgada e ansiosa pelos resultados.

No post anterior apresentei a vocês o escritor Marcos A. Junior

Marcos A. Junior

O autor pernambucano disponibilizará por meio do blog a sua minissérie viral. 

Mas para  acompnhar os capítulos seguintes, precisaremos da força dos seguidores para este projeto. Pois o autor só disponilizará os capítulos seguintes, quando atingir uma meta de seguidores no intagram dele @maj_oficial e também no instagram do blog @leiturasplus. 

Portanto vocês serão responsáveis pela velocidade do lançamento.

Ao atingir a meta definida pelo autor, ele enviará para o blog o capítulo seguinte. E na quarta-feira seguinte postarei com outras metas.

Assim, todas as quartas, (não sei se por longo ou pouco tempo, pois vocês que irão definir) teremos uma minissérie no blog. Todos o capítulos serão expostos no marcador  do próprio autor Marcos Junior - Clique Aqui

A capa da minissérie é 

Minissérie aqui


Então vejo vocês na quarta, no capítulo de inauguração.

Até
Beijos
Paty O.B.S

Leia Mais ››

Marcos Antonio de Aragão Junior - Autor






 Natural de Recife-PE, nascido em 23/04/1988.




Começou sua trajetória literária no final do ano 2014 ao desenvolver o livro “Diário de Uma Mente Incomum”, um diário de questionamentos, atitudes, pensamentos e sentimentos da mente de um jovem de 26 anos que tinha que resolver problemas de chefe o perseguindo, período final de faculdade e problemas de relacionamento. Também desenvolveu a história verídica “As 10 Histórias da Minha Vida”, uma mesma história, cheia de dificuldades e reviravoltas após um trágico acidente, contadas de 10 pontos de vistas diferentes. Também responsável por pensamentos e poemas tocantes lançados nas páginas de redes sociais. Seu último trabalho escrito, primeiro a ser publicado, pela editora Giostri, foi “Herbert Flinch – O Manipulador de Sonhos”, uma ficção que conta a história de um garoto que descobriu, ainda com 11 anos, que tinha o dom de voltar nos momentos ruins que aconteciam em sua vida e alterá-los de acordo com seu gosto. O que será que aconteceu quando ele descobriu que alterar os acontecimentos podia trazer várias consequências drásticas?


Leia Mais ››

Leitura 16/2016


Minha leitura  número 16 deste ano 2016 é a quarta  do mês de Abril é a leitura do Clube Entre Leituras...

Clique e Participe do Clube

Uma Chama Entre As Cinzas

Sabaa Tahir
Leia Mais ››

A Forma Abstrata de se curtir a vida - Eulálio Hereda





ISBN-13: 9788591947713
ISBN-10: 8591947711
Ano: 2015 / Páginas: 215
Idioma: português 
Editora: Clube de Autores

SINOPSE

A história relata o período em que Marcos, um adolescente de 16 anos, rompe a barreira da timidez para iniciar um relacionamento com Juliana, uma garota de 17 anos. Em meio à influência de colegas e amigos, ele acaba se envolvendo com Hellen, uma garota aparentemente liberal, mas que depois pede exclusividade. Entre ser um rapaz sincero ou mentiroso, Marcos vai aprendendo com os erros e definindo como seguir sua vida e seus relacionamentos.

RESENHA


Doce...Hot...Traição...Escolhas...

Assim posso caracterizar este livro...

Leitura com uma relação de amor e ódio.

Principia muito fofo, dois jovens (jovens mesmo, de 17 anos); descobrindo a paixão, o prazer, o amor.



Marcos, tímido e de poucas amizades. Juliana a jovem descolada, de boas amizades e...

 Ellen... melhor Cada um cursa sobre a personagem, pois gosto é bem peculiar.

Nos primeiros capítulos a suavidade do início do namoro, com a ansiedade dos encontros, dos beijos. Em seguida, chega o momento da descoberta do prazer,  trecho de preocupação, mas nada alarmante, preocupação apenas com a idade, muito jovens e com muita confiança.


Passando essas duas fases, entra à descoberta dos limites, preocupações, responsabilidades de jovens estudantes, cheio de prazer e vontades.

E então! Vem a surpresa...
TRAIÇÃO...

Má influência.

O gostoso é que o escritor conta por meio dessa traição, o amadurecimento da relação não somente  amorosa, e também suas escolhas e conseqüência.

Faço um destaque aos pais dos jovens no livro. Bem relacionados, confiam nos filhos. Os pais do Marcos são separados, mas não impedem de uma relação pacificadora entre todos (apedar de pouco explorado, alerta ao escritor). Assim, a consequência é que Marcos é um bom rapaz, só não fez algumas escolhas certas.


Como todo ser humano é passivo de falha, porém pode reverter as suas escolhas, e se redimir. Marcos na metade do livro,  começa refletir sobre suas atitudes, os acontecimentos na sua vida, decorrência dessas escolhas, é A Forma Abstrata de se curtir a vida, que faz do Marcos um personagem que aprende e reaprende com seus erros.


Nesta obra, sutilmente tem um momento surpreendente, que muda todo o rumo da história. Com reviravolta. 




Minha nota foi:

4 Estrela****

Uma  leitura boa.

Tem os Capítulos longos, porém a estória de Marcos e Juliana é muito envolvente que você não consegue parar de ler. 

O autor conseguiu passar uma mensagem muito bonita com este livro, o amadurecimento é natural diante dos erros e acertos.

É assim a vida... é assim uma boa leitura...



Leia Mais ››

Entrevista parte II - Escritor Eulálio Hereda





       Acha possível viver da literatura e da escrita no Brasil?

Como autor iniciante, acredito que é impossível viver da literatura no Brasil, quem dirá da escrita, exceto os já renomados na mídia. O retorno financeiro dos direitos autorais é muito baixo e apesar de ter me surpreendido com a quantidade de blogs, bookaholic e amantes do livro, esse número é ainda pequeno e a quantidade de livros muito grande. Ou seja, a equação não fecha.

      Qual escritor tem como referência?

Minhas maiores referências são os baianos Jorge Amado e João Ubaldo Ribeiro.

       Participa das feiras literárias? Qual importância das feiras e eventos literários pra o profissional da escrita?

Ainda não participei de uma feira literária, tenho interesse em participar e colocar uma de minhas obras em concursos. Para o profissional da escrita é uma forma de se aproximar dos leitores, além de conquistar a confiança e credibilidade de seus trabalhos.

        Como você analisa o mercado de e-book no Brasil?

Com relação a preço, alguns estão fora da realidade, muito alto. É um mercado que não veio para substituir os livros impressos, mas que deveria prover maior acessibilidade à leitura.

       Assim como em muitas outras áreas culturais, na literatura ocorre muita pirataria. Como você analisa essa triste realidade?

A pirataria de livros impressos talvez seja menor, já os digitais as chances se tornam maiores. Existe uma cultura da pirataria implícita em nosso país, em que sempre se quer tirar proveito de qualquer coisa. Se os preços forem mais acessíveis, causando a impressão de “preço justo” a pirataria passa a ter um índice controlado. Não vejo que a pirataria um dia será extinta, ela sempre existirá.

      O grande termômetro de um escritor são os leitores. Como você relaciona com o seus leitores? Escuta os fedback?

Eu sou ansioso por feedbacks, se fossem parciais então, por capítulo por exemplo, diminuiria essa minha ansiedade. Quero saber se tem erros, se há repetição, se a leitura está chata, se poderia ter melhorado em algo, se gostou mesmo, se os personagens estão bem elaborados, qualquer crítica. Primeiro foram colegas e amigos, depois foram as resenhas e o termômetro de quem leu a resenha, fico atento à tudo e não perco um comentário.


     O que podemos esperar de novo na sua carreira? Vem livro(s) novo(s)?


Sim, vem o terceiro e último volume da série Chapada. Tenho um livro para tirar do fundo dos arquivos e esse será difícil de escrever, será um drama. Estou prevendo também um suspense, ainda estou amadurecendo a ideia e procurando uma forma de traçar suas linhas de fluxo. E já me pediram a continuação de Ambiguidade, também estou amadurecendo uma forma de como seria dada a sua continuação.

Amanhã tem a segunda resenha da semana e encerramento da Semana Escritor.Não deixem de conferir

Beijos
Paty O.B.S. 
Leia Mais ››

Sorteio da Semana Escritor - 2 livros - Eulálio Hereda



Oi Galera,

Como não poderia ser diferente, a semana escritor presenteia nos leitores com um sorteio.

A boa dessa semana temática, é que o escritor Eulálio Hereda, não só presenteio nós leitores disponibilizando dois de seus livros na Amazon totalmente de Graça

A Forma Abstrata de se curtir a vida
Chapada - Amazon. Clique Aqui.

Como também está presenteando com esses dois livros, em formato físico e autografado, saindo de suas mãos até você.

Só que para todo e qualquer sorteio, o mínimo de regras têm que existir. Então... Serão 2 livros do autor Eulálio Hereda e o sorteio ocorrerá pelo IG do blog: @leiturasplus

O Sorteio ocorrerá no Domingo 24/04/2016




As Regras do sorteio serão bem simples.

Participar:
1. Seguir o Instagran do blog: @leiturasplus ;
2. Marcar 3 amigos. (não pode ser de famoso, fake e repetir) Dica: quanto mais marcar amigos, mais oportunidade de levar os dois livros do autor;
3. Seguir o instagran do autor @eulaliohereda (regra essencial e será verificada antes de anunciar o vencedor);
4. Residir em território brasileiro.









Regras de sorteio e envio
1. O Sorteio ocorrerá pelo aplicativo Igerar;
2. Número sorteado será verificado com o autor se o vencedor cumpriu as regras;
3. Ao anunciar o vencedor, marcarei na rede social e assim, terá um prazo de 48 horas para entrar em contato;
4. Os livros sairão diretamente das mãos do autor, autografados;
5. Prazo de envio é de 30 dias.




É isso galerinha!
Participem, divulgam, e compartilham.







Amanhã tem mais Semana Escritor - Semana Eulálio Hereda


Beijos
Paty O.B.S.




Leia Mais ››

Chapada - A Descoberta de Uma Paixão. Volume I. Eulálio Hereda



SBN: B01947GH6K
Ano: 2015 / Páginas: 208
Idioma: português 
Editora: Clube de Autores

Sinopse
Artur, um aventureiro que decide fazer uma trilha na Chapada da Diamantina e sua história se cruza com a de uma cantora, Pérola, que se apresentaria no Festival de Inverno de Lençóis, porém é sequestrada durante sua chegada na cidade de Lençóis e consegue escapar do cativeiro. Artur se depara com Pérola desacordada e ferida no meio da mata e decide ajudá-la em resgatá-la. Após esse encontro, um romance entre os dois surge escondido dos holofotes da mídia.




Resenha



O livro tem narração em terceira pessoa e irá contar a história de Artur e Pérola. Os caminhos dos dois se cruzam do inesperado, no meio de um sequestro.

O primeiro impacto ao iniciar a leitura foi o tamanho dos capítulos, são enormes, alguns passando mais de 20 páginas, o que rende atrasos para aqueles qe tem pouco tempo de leitura.

Está obra em especial, não foi possível adotar esse ritmo, fazendo assim, a leituras serem apenas à noite, horário que não rendimento é péssimo, por conta do cansaço e dos estudos.

Fora esse pequeno problema a obra conta uma estória bonita, unindo duas realidades de vida diferentes.

Pérola tem uma vida de luxo, vida feita, com sua profissão artística. Cantora, conhecida em todo o Brasil, ela vive em viagens com sua turnê.

Tem uma equipe 24h para tudo que precisar. Mas ainda assim consegue manter sua privacidade e seu momento “Eu” como por exemplo: responder e-mails, conversar com um integrante especifico da banda.

Artur é um singelo rapaz que luta pela vida, mora em Salvador – Bahia, com a mãe, têm suas dificuldades financeiras, como todo e qualquer ser humano. Vida sem luxo, austera financeiramente, e personalidade um pouco robusto.



A vida de Artur muda completamente ao decidir fazer uma trilha na Chapada. Para distrair da vida, e não enlouquecer com as dificuldades do cotidiano. Sabendo que na Chapada ele recarrega a energia, Artur não pensa duas vezes quando quer um momento de paz, mesmo que já tenha perdido a conta de quantas vezes viajou para a região. 

A vida de Pérola também muda radicalmente ao pousar na cidade para um Show rotineiro.

Perola e Artur se cruzam quando a cantora consegue escapulir da equipe de assaltante que pressiona a cantora.

O início Artur é bem objetivo chegando a ser frio, mesmo assim não deixa de ser cuidadoso com a cantora. O interesse um pelo outro nasce aos poucos.

E assim também nasce o desenrola da estória, uma amizade que estende para desejo, affair e amor, porém dois universos diferentes acabam se chocando em alguns momentos.

O gostoso dessa leitura é que o autor trabalha bem isso, como conciliar duas vidas diferentes em um relacionamento cheio de amor e desejo. No Início e no decorrer da leitura, o autor foca em um mistério, referente ao sequestro da cantora, e ainda consegue nos prender em outros temas bem atraente, viagem, luxo, sequestro, simplicidade, amor e muito mais você encontra na Chapada.

Só lendo para descobrir e entender como essa aventura amorosa finalizará ou não.

Leia Mais ››

Semana Escritor - Entrevista parte I - Eulálio Hereda



      Você tem formação em engenharia Civil e trabalha no serviço Público. O que fez você aventurar no universo da escrita?

Quando decidi retomar o projeto do livro Ambiguidade eu não queria que ele ficasse guardado num arquivo de computador, eu estava bastante motivado para publicá-lo, acredito que é um livro divisor de gêneros literários, possui aspectos religiosos, romance, um pouco de suspense e reflexão. Acredito tanto no sucesso desse meu livro que procurei editoras que se interessassem pela minha obra, mas a realidade para novos autores é bastante diferente da que idealizamos. Encontrei no Clube de Autores a oportunidade de vê-lo impresso com um bom acabamento e adquiri inicialmente dez exemplares para vender entre amigos, parentes e colegas.

Foi uma colega de trabalho, Ana Teresa, que fez grandes elogios ao livro Ambiguidade, contando com entusiasmo cada capítulo que lia e o que esperava da história. Com o retorno bastante positivo de outros amigos que também leram, decidi resgatar um livro escrito durante minha adolescência enquanto surgiam novas inspirações. Essa minha colega me incentivou a publicar novas obras, pois, com um leque maior de publicações as chances de mais pessoas se interessarem pelas minhas obras se tornam maiores. E gostando de um livro, com certeza despertará a curiosidade para ler o segundo, o terceiro, e por aí vai.

       Quais dificuldades encontradas na sua jornada como escritor?

São inúmeras as dificuldades. A principal delas é não desestimular, por vezes me questiono se realmente vale à pena continuar escrevendo, a elaboração de um título demanda tempo e dedicação que poderia estar utilizando para outros fins, mas que tenho aproveitado para imergir na criação de minhas histórias. Outra grande dificuldade é sempre buscar meios de divulgação dos meus livros e fazer com que leitores se interessem para adquirirem, não adianta sair por aí escrevendo e não ter quem leia e comente. Isso acaba provocando o desestímulo citado na primeira dificuldade. Outra, e não menos importante, é encontrar tempo para escrever as ideias que surgem à mente, muitas vezes é complicado conciliar o tempo que possuo para escrever e por vezes acabo perdendo aquilo que estava planejando para o novo capítulo. Querendo fechar num número quatro de dificuldades, a última é a questão financeira, se eu tivesse condições de investir em minhas publicações e divulgação eu tenho a certeza que aumentariam as chances de venda e reconhecimento.

      Como você concilia sua vida profissional com sua carreira de escritor?( Você faz planejamento do livro? Tem horário fixo? Rotina de escrita?)

Com relação a Ambiguidade, eu tinha a história toda desenhada em minha mente, já sabia como seria o início, o desenvolvimento da história e o final. A Forma Abstrata foi uma questão de adaptação do que já havia escrito, porém, com Chapada eu utilizei o sistema de linhas de fluxo (fluxograma) para “desenhar” a história inicial do livro e seu meio, o final ficaria de acordo com o que eu fosse achando conveniente. Tenho esse fluxo rabiscado em meus arquivos como recordação. Não possuo horário fixo, muitas vezes aproveito alguma hora ociosa ou então acabo parando para escrever a contragosto da família quando chego em casa.

Não consigo estabelecer uma rotina para escrever, tudo depende da musa, a inspiração, se eu escrever por obrigação com o principal objetivo de encher páginas sou capaz de deletar tudo depois. Tem vezes que fico semanas ou até mais de um mês sem tocar no livro e isso me força a revisar os capítulos que já escrevi para pegar o “fio da meada” e prosseguir com a ideia.

      Você relata que aos 10 anos já sentia necessidade de escrever, o que fez você escolher uma área acadêmica e profissional distinta da vida de escritor?

Será que um indivíduo possui mais de um dom ou mais de uma capacidade laboral? Eu me identifico bastante com a construção civil, entender todas as etapas construtivas de uma edificação, desde a concepção do projeto, iniciando a construção com a fundação e concluindo com a entrega das chaves ao cliente. É um modelo industrial em que a indústria se move para um canteiro e entrega o produto ao cliente, diferente de uma fábrica fixa que coloca partes de um produto no início da linha de montagem e lá no final você encontra o produto pronto.

Por outro lado, a mente de um engenheiro é bastante estimulada, é lidar com pessoas, com formas de reduzir custos, com erros e acertos, resolver problemas, desafios, tomar decisões e entregar seu trabalho superando as metas estabelecidas. É necessária uma válvula de escape para tanto estresse, a minha foi escapar criando histórias imaginárias e escrevendo-as.

      A forma abstrata você escreveu ainda adolescente. O que mais mudou no seu primeiro livro escrito para o último?

A Forma Abstrata eu havia escrito para mim, foi uma solução para criar um “mundo” que eu idealizava, de uma forma um tanto erótica, é claro. Quando reescrevi o livro me deparei com alguns conflitos, eu conseguia entender e reviver a emoção da história, porém, sabia que poderia ser melhorada. Foi minha esposa quem me guiou enquanto eu permanecia em dúvida se deveria mudar o sentido ou não e ela me pedia para que não mudasse.


Eu poderia escrever outros livros mais eróticos do que A Forma Abstrata, mas não seria da mesma forma. Ele só existe por que foi idealizado durante minha adolescência e tenho orgulho de tê-lo escrito, é um bom livro para ler e se descontrair, não para se apaixonar. Eu amadureci, mudei o ponto de vista, a forma de escrever, de descrever os personagens, suas emoções e formas de se relacionarem. E à cada livro com certeza estarei com uma forma diferente de pensar em relação ao anterior.


  Quais dificuldades encontradas por ti para lançar suas obras? (editora,  produção independente, parcerias, marketing).

Editora: infelizmente não tive a sorte ainda de encontrar uma editora que acredite e invista em minhas obras sem que eu precise dar uma contrapartida financeira. Geralmente o autor iniciante banca parte do investimento na primeira tiragem, que pode ser de mil exemplares, e se conseguir vender todos os livros no primeiro ano a segunda tiragem já é realizada sem custo. Eu não tive como investir cerca de R$15.600,00 que me pediram para os primeiros mil exemplares que uma editora conhecida me propôs.

Produção independente: além de escrever, preciso ser o próprio revisor de meu livro procurando erros de gramática e ortográfico, além de encontrar textos repetidos, sem sentido, etc. Preciso avaliar minha própria obra, gostar dela e perceber que existe um público alvo para ela. Tem a etapa da diagramação, estabelecer um formato de parágrafo, de diálogos, início de capítulos, índice e outras coisas. O mais difícil é pensar na capa, tenho algum conhecimento de edição de imagem e com a ajuda de minha esposa que também possui, vamos desenvolvendo algumas ideias, mas apenas para a capa principal. Poxa, não acaba por aí, tem ainda o número do ISBN que vou obtendo aos poucos, sempre atrasado, e a ficha catalográfica, que após muito esforço, descobri um tutorial de como fazer. Falei aqui apenas a etapa de produção, pois ainda tem que encontrar sites de livrarias que vendem e divulgam e-books além de buscar maneiras para divulgar o próprio livro.

Parcerias e marketing: essa é a mais nova etapa que estou adquirindo experiência. Tenho buscado parcerias em blogs para lerem, divulgarem e resenharem meus livros. Infelizmente, ainda só posso disponibilizar livros digitais e tem blogs que só aceitam livros impressos. Quem sabe no futuro eu não possa enviar meus livros impressos. Acredito que a parceria é uma das etapas de marketing mais importante, meus livros têm que ser bons o suficiente para que a resenha seja positiva e atraia o interesse de novos leitores ao lerem o que foi comentado do livro. Como marketing, criei um blog, uma página no Facebook, uso meu perfil no instagram e tenho procurado diversas formas de promover minhas publicações.

     Quantas obras já têm publicadas? Fala um pouco de cada uma. (como nasceu cada obra).

No total são seis obras:




Sonhos em Poesia, Volumes 1 e 2: não sei exatamente quando começou o gosto por poesias. Pertencem à minha fase adolescente, quando nas aulas de Literatura e de Redação começávamos a nos familiarizar com os tipos de escrita: Dissertação, Descrição, Narração, Poesia, etc. Minhas narrações por vezes saíam em tom de poesia, rimada ou cantada e foi quando decidi separar meus textos em versos e estrofes. As poesias foram separadas por volumes por orientação de minha colega, ninguém lê mais de cem poesias num livro só, pelo menos é o que ela diz. Futuramente penso escrever alguns contos intercalados e contando a história de cada poesia.

A Forma Abstrata de se Curtir a Vida: originalmente escrito na minha adolescência e reescrito em 2015, mantendo os aspectos originais da história. Comecei a idealizar como seria um adolescente inexperiente iniciando um relacionamento afetivo e sexual. Apesar de possuir verossimilhança, é uma ficção, um romance baseado num personagem: Marcos, um adolescente de 16 anos que começa a se relacionar afetivamente com Juliana, um ano mais velha, e descobre a sexualidade. Poderia ser um romance simples, se Marcos não sofresse influências dos amigos e inserisse em seu relacionamento uma terceira pessoa. Não é um romance meloso.

Ambiguidade – Quando um dom se torna conflitante: sabe quando você está na rua e se depara com um fanático religioso gritando “Jesus está vindo”? Foi quando comecei a me perguntar: “se ele estiver entre nós e não aparecer? Simplesmente quiser seguir sua vida normalmente”, vieram outros questionamentos do tipo “se ele não tiver conhecimento do poder que possui”, ou então “se quiser namorar e ter um relacionamento”. Isso deu margem para explorar bastante o tema, ele não deveria ser propriamente um “Jesus”, mas sim alguém que possua os dons da cura semelhantes ao que ele fez em sua passagem aqui na terra. Bem, daí já dá para imaginar o quanto essa história rendeu.

Chapada – Volume 1 (A descoberta de uma paixão) e Volume 2 (A Consolidação do amor): temos amizade com um casal de vizinhos que realizam algumas sessões de aventura bastante interessantes, coincidentemente eles fizeram um passeio à Chapada da Diamantina e mostravam algumas fotos quando comecei ter a ideia de criar uma história envolvendo uma cantora nacional (Pérola) que iria se apresentar no Festival de Inverno na cidade baiana de Lençóis e é sequestrada durante o percurso Aeroporto – Cidade ao mesmo tempo em que um aventureiro realizava uma trilha pela Chapada da Diamantina, próximo do local de cativeiro da cantora. Alguns eventos fazem com que os dois se encontrem e desenvolvam uma paixão (Volume 1) e os laços afetivos são consolidados (Volume 2). Ainda haverá a solução dos envolvidos no sequestro e mais eventos para o terceiro volume.


Leia Mais ››


© BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: MARY DESGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo