Sem Olhar para trás - Lycia Barros


Ano: 2016
Páginas: 256
Editora: 
Valentina
O novo romance da escritora Lycia Barros narra um drama super comum da sociedade ao longo dos séculos. Um mal que acomete, principalmente, as mulheres. Afinal, quando coagidas, agimos de forma equivocada e facilmente somos influenciadas por nossos medos. No entanto, muitas vezes o sofrimento é o melhor remédio para acordar o espírito. E sempre há tempo para refazermos a nossa trajetória, onde algo surpreendente pode estar nos esperando no fim da linha. Esse é o foco da história de Agatha: é preciso força para recomeçar. As cicatrizes ficam, mas a força de reação é maior.




RESENHA

“Quando queremos mudar a situação à nossa volta, é preciso que essa mudança comece dentro de nós” Lycia Barros

Finalizar o mês da Lycia Barros com seu livro mais recente, é o que podemos dizer “fechar com chave de Ouro”, é clichê, mas é verdade.

Esse livro trás um assunto antigo, porém bem atual e que recentemente retornou a mídia com intensidade.

A violência contra mulher é algo covarde, antigo, que ainda nos assusta. Hoje graças algumas mudanças, não somente a lei, mas também no comportamento do ser humano frente ao tema e principalmente, a favor da mulher, a violência senão diminuiu, ficou bem mais evidente, sendo passiveis de punições.

“Bruno teria um chilique se chegasse à noite e não me visse em casa” (pag. 20)

Sem olha para trás tem narração em terceira pessoa e inicia já com fuga. Agatha de apenas 28 anos está fugindo com seu filho Gabriel de 9 anos, do RJ para um sítio que recebeu de herança da tia Dulce.

A vida de Agatha não foi nada fácil. Escolhas erradas acabaram lhe proporcionando sofrimentos desnecessários, ou mesmo, necessários, para amadurecimento com as próximas alternativas.

Agatha que tinha tudo do bom e melhor, morando no Rio de janeiro e um apartamento luxuoso no Leblon, agora encontra-se inicialmente desnorteada em Rio Preto.

Marido violento foi o motivo da fuga, enquanto a violência era só com ela, Agatha aguentava; a partir do instante que a violência chegou ao pequeno Gabriel, sua posição muda, e sua atitude é radical.

Essa união não tinha a bênção de nenhuma das famílias. Agatha assim como encontra-se fugida, iniciou o casamento com fuga também. Resultado, seu pai praticamente excomungou e não perdoou, e família Albuquerque sempre condenou por seu filho se envolver com uma simples moça.

Este é apenas o início do livro. Amor mal sucedido, amor doentio, falta de amor a se próprio. Até que Agatha acorda e radicalmente resolve REAGIR.

Porém, o ex-marido não irá deixar o sumiço de Agatha sair impune, ou seja, podem esperar por momentos tensos. Bruno é um personagem totalmente mimado e irritante, assim como a família.

“Não seja bobo. Toda mulher sabe que o homem da sua escapadinhas, mas nem por isso podemos desfazer o nosso lar.” (pag 51)

Entretanto no decorrer da trama um amor puro que nasce, tão inesperado quanto à amizade de Vicente e Gabriel. Vicente será a força para Agatha conduzir sua vida, pois não está sendo fácil aprender com a nova rotina sem ter pânico. Pânico este, que atormenta dia noite ao ponto de andar sempre armada. 

“... A minha vida também andava cinza antes de eu te conhecer. Meu coração estava vazio. Eu sentia saudades de você antes mesmo de tê-la encontrado.” (pag 155)

O livro começa intenso, depois tem uma leveza nos acontecimento, assim como a nova morada de Agatha e Gabriel. O leitor ficará satisfeito com a leitura. Pois, encontra além da turbulência que é a vida de Agatha, depara com um tema profundo, delicado, muito bem narrado e trabalhado; também encontrará em vários momentos, a  paz, o ritmo, a beleza, a amizade, controle, ou, o não controle que temos sobre a vida e os problemas típicos de uma cidade do interior. Um cenário  realmente muito encantador.

Os personagens são incríveis, bem descritos, cada um com personalidades próprias, mimados, doces, autênticos. E claro, como em toda a leitura da escritora Lycia Barros, ela proporciona ensinamentos com a Fé.

“A dor é uma grande ferramenta de ensino, Vicente. Deus disciplina os filhos que ama. Assim como pais terrenos também disciplinam seus filhos para exercitá-lo no caminho certo” (pag. 200)

Não se iludem; para os ensinamentos da Fé ocorrerem, os leitores irão sofrer junto com Vicente e principalmente com Agatha. A autora também construiu um personagem psicopata com perfeição, pois, qualquer leitor terá certa revolta com o Bruno.

Mas deixo meu destaque desta obra para o casal encantador, D. Gema e o Sr. Pedro. Dois senhores maravilhosos, que enfeita a leitura em todas as passagens.



Mês da Lycia Barros continua lá na fanpage Eu leio Lycia Barros - Clique Aqui

Beijos

2 comentários:

  1. Oi, Paty!
    Que resenha mais sincera! Já estou apaixonada pela história, embora ler livros assim não seja fácil, é sempre uma lição importante para se levar para a vida.
    Livro com criança é sempre comovente né? Principalmente quando eles encontram em outras pessoas, a figura que deveriam ter no pai ou mãe. Amo esse tipo de situação. Já estou convencida de que Vicente é um amor! Quem sabe em breve, não serei eu fazendo uma resenha/declaração de amor, como a sua hein? rs. Parabéns pela linda resenha Paty. Arrasou!
    Mil beijokas :*
    entreumlivroe-outro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Paty, amei a resenha deu pra ver que tem cenas tensas e emocionantes, além de muito amor e fé, como todos da Lycia!
    Ainda não pude comprar o meu =(
    mas não vejo a hora de tê-lo em mãos!
    bjaooo
    Ana,
    elvisgatao.blogspot.com

    ResponderExcluir


© BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: MARY DESGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo