Entrevista parte II - Escritor Eulálio Hereda





       Acha possível viver da literatura e da escrita no Brasil?

Como autor iniciante, acredito que é impossível viver da literatura no Brasil, quem dirá da escrita, exceto os já renomados na mídia. O retorno financeiro dos direitos autorais é muito baixo e apesar de ter me surpreendido com a quantidade de blogs, bookaholic e amantes do livro, esse número é ainda pequeno e a quantidade de livros muito grande. Ou seja, a equação não fecha.

      Qual escritor tem como referência?

Minhas maiores referências são os baianos Jorge Amado e João Ubaldo Ribeiro.

       Participa das feiras literárias? Qual importância destes para o profissional da escrita?

Ainda não participei de uma feira literária, tenho interesse em participar e colocar uma de minhas obras em concursos. Para o profissional da escrita é uma forma de se aproximar dos leitores, além de conquistar a confiança e credibilidade de seus trabalhos.

       Como você analisa o mercado de e-book no Brasil?

Com relação a preço, alguns estão fora da realidade, muito alto. É um mercado que não veio para substituir os livros impressos, mas que deveria prover maior acessibilidade à leitura.

       Assim como em muitas outras áreas culturais, na literatura ocorre muita pirataria. Como você analisa esta triste realidade?

A pirataria de livros impressos talvez seja menor, já os digitais as chances se tornam maiores. Existe uma cultura da pirataria implícita em nosso país, em que sempre se quer tirar proveito de qualquer coisa. Se os preços forem mais acessíveis, causando a impressão de “preço justo” a pirataria passa a ter um índice controlado. Não vejo que a pirataria um dia será extinta, ela sempre existirá.

      O grande termômetro de um escritor são os leitores. Como você relaciona com o seus leitores? Escuta o fedback?

Eu sou ansioso por feedbacks, se fossem parciais então, por capítulo por exemplo, diminuiria essa minha ansiedade. Quero saber se tem erros, se há repetição, se a leitura está chata, se poderia ter melhorado em algo, se gostou mesmo, se os personagens estão bem elaborados, qualquer crítica. Primeiro foram colegas e amigos, depois foram as resenhas e o termômetro de quem leu a resenha, fico atento à tudo e não perco um comentário.


     O que podemos esperar de novo na sua carreira? Vem livro(s) novo(s)?


Sim, vem o terceiro e último volume da série Chapada. Tenho um livro para tirar do fundo dos arquivos e esse será difícil de escrever, será um drama. Estou prevendo também um suspense, ainda estou amadurecendo a ideia e procurando uma forma de traçar suas linhas de fluxo. E já me pediram a continuação de Ambiguidade, também estou amadurecendo uma forma de como seria dada a sua continuação.


Amanhã tem a segunda resenha da semana e encerramento da Semana Escritor.Não deixem de conferir

Beijos
Paty O.B.S. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário


© BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: MARY DESGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo