Semana Escritor: Entrevista Fátima Venceslau - Escritora Leitora - Vida e Obra



Clica na Foto e conheça a escritora no facebook


"A vida só existe e tem graça com muito amor"


Conte para nós como surgiu seu amor pela leitura? Alguém incentivou?
Quando eu era criança minha tia gostava de reunir as crianças para contar histórias. Podia ser oralmente ou através de um livro. Éramos 6 crianças e ficávamos ali, sentados e bem quietos ouvindo aquelas aventuras que nos faziam viajar. Foi assim que passei a amar a leitura.

Edição de 1998

Qual leitura de infância inesquecível?
Alice no país das maravilhas que me fazia viajar por lugares incríveis.

Em qual leitura você encontrou diferentes emoções.
Quando fiquei mais velha, já adolescente, comecei a ler os livros de ficção científica do meu irmão. Não me lembro do nome da maioria deles, mas eles me transportavam para outros planetas, outros mundos, e minha imaginação ia longe... Então, experimentei todas as emoções possíveis através de minhas viagens imaginárias.

Já teve alguma leitura decepcionante? Conte sua experiência.
Decepcionante, não. Já li livros que não gostei da história, dos personagens, às vezes da abordagem, mas acredito que todo livro tem algo a dizer. Basta que estejamos prontos para a história que ele nos quer contar.

Qual seu Estilo literário?
Sou bastante eclética. Passeio muito bem por uma boa aventura, um drama, uma boa história de terror e um belo romance. O que conta é a abordagem, a escrita bem trabalhada. Qualquer história pode nos levar a lugares incríveis, desde que seja bem contada.

Você costuma ler todos os livros que compra?
Já fiz muito isso. Não admitia parar no meio de um livro e não terminá-lo. Tinha que finalizá-lo. Hoje em dia, talvez porque meu tempo tenha se tornado mais precioso (afinal trabalho, leio e ainda escrevo), às vezes abandono uma leitura que não tenha me agradado muito e, dificilmente retorno.

Você já teve que abandonar alguma leitura? Conte para nós.
Sim, várias vezes. Na maioria delas por falta de tempo mesmo. Quando faço isso, preciso retomá-la do início. Uma pena quando isso acontece.

Qual sua leitura atual?
Acabei de ler [Gataca] de Franck Thilliez. Trata-se de uma história policial misturada com teorias da Evolução. Temos um pouco de Biologia, Antropologia e Arqueologia. A história é muito interessante e mistura algumas teorias evolutivas reais, mas o que eu mais gostei foi a narrativa do autor, que é sensacional. Adorei.



Não poderia deixar de revelar
A escritora é minha colega no mundo dos motociclistas




CARREIRA





Você tem formação acadêmica em Odontologia, com mestrado em Tecnologia Educacional nas ciências de saúde pela UFRJ, em que momento, paralelo a sua carreira decidiu aventurar na escrita?
Sou formada em inglês também, pelo Curso CCAA e ministrei aulas de inglês durante muitos anos. No meu curso estudei literatura inglesa e americana, o que me fez ter contato com muitos autores estrangeiros. Além disso, sempre gostei de Literatura brasileira, o que me levou a ler muito e daí para a escrita foi uma consequência.

Você exerce sua profissão de formação?
Sim. Me formei em 1982 e trabalhei em consultório dentário e clínicas odontológicas por muitos anos. Em 1998 voltei para a Universidade e me especializei em Estomatologia, o que me levou ao magistério universitário. Já trabalhando na universidade, como professora de Odontologia precisei me aperfeiçoar, o que me levou ao Mestrado e ainda a especialização em Radiologia Odontológica, uma das áreas em que atuo.

Qual foi sua primeira obra Publicada?
Meu primeiro conto publicado chama-se “Será o fim?” e faz parte da Antologia “O último dia antes do fim do mundo”, pelo selo Ases da Literatura, da Lycia Barros.
 
“A rosa branca”
conto de Fátima
Quantas obras publicadas você tem? Quais?
São vários contos publicados em Antologias diversas e meu primeiro romance.
1 – “Será o fim?” na Antologia “O último dia antes do fim do mundo”
2 – “A rosa branca” na Antologia “Amores Impossíveis”.
3 – “Esqueletos no armário” na Antologia “Segredos de família”
4 – “Carrossel Holandês” na Antologia “Aconteceu na Copa”.
5 – “A visita de Chronos” na Antologia “Nada será como antes”.
6 – “Rota de colisão” na Antologia “Conta-me”.
7 – “Rumores” na Antologia “Noite Sombria”.
8 – “Aceitação” na Antologia “Sonhos, Lembranças e Desilusões”.
9 – Três contos em e-book que fizeram parte do concurso da Amazon: AGT, Maruska e Desafio diário.
10 – “A Cruz de Zeta”, romance de estréia.

Acha possível, viver exclusivamente da escrita literária?
Sim, acho isso possível, apesar de muito difícil nesse país. Até bem pouco tempo, quase não se via livros de autores nacionais nas prateleiras de frente das livrarias importantes. Hoje você já consegue ver livros de autores como Felipe Colbert, Lu Piras, Tammy Luciano, Raphael Montes, etc. Acredito num futuro muito promissor para a literatura nacional.


Como nasceu o livro A cruz de Zeta?
Tudo começou quando eu ainda era adolescente e vi a imagem de um alienígena nórdico numa revista, que afirmava ter sido visto por pessoas. Naquele dia sonhei com ele e disse para mim mesma que um dia escreveria uma história com ele. E então, meu sonho realizou-se.

A Cruz de Zeta é uma ficção cientifica, com uma maravilhosa história de amor. Você acha que isso facilita a atrair leitores para este gênero?
Acredito que sim. Várias pessoas dizem que acham complicado ler ficção científica, pela linguagem difícil, pelos nomes dos lugares, das pessoas. Bem, eu tentei descomplicar. Espero ter conseguido e ainda mesclei com amor. A vida só existe e tem graça com muito amor, não é?

Como foi compor os personagens? Fez pesquisas?
Muitas. Primeiro ver o que se dizia sobre os alienígenas nórdicos, depois os reptilianos para encontrar um antagonista. Além disso, os lugares nos quais a história acontece. Tudo exige muita pesquisa.

Como é sua rotina de escrita? Dedica-se exclusivamente a escrita ou tenta conciliar a outras responsabilidades profissional (profissão)?
Estou sempre conciliando meu tempo de escrita com as responsabilidades no trabalho. Tem momentos que fica muito difícil, mas acabo conseguindo. O mais complicado é a velocidade da escrita, pois nem sempre posso escrever quando quero.

Quais dificuldades você encontra para lançar/divulgar uma obra?
Ainda sou independente, o que dificulta muito, pois aliado a falta de tempo, não consigo dar conta de tudo.

Quem foram seus incentivadores no lançamento do seu livro? Houve incentivo?
Basicamente meu marido e minha filha. Eles sempre me apoiaram a escrever e publicar. Acho que sem eles eu não teria conseguido.

Como você analisa os blogs/vlogs literários? Eles ajudam no trabalho do escritor?
Claro, ajudam demais. Ajudam divulgando e ainda resenhando,  incentivam os leitores a buscarem a leitura desses livros.

Como você analisa as feiras literárias? Acha válido?
Demais. Nas feiras o autor pode ter contato direto com os leitores, falar de suas obras, receber a opinião pessoal desse leitor e até trocar dicas.

Quais são seus projetos literários? Podemos esperar novidade? Livro novo?
Deixa sua mensagem especial para os leitores.
Tenho três novos contos com lançamento previsto ainda para esse ano nas Antologias: Autores fantásticos, Contatos Imediatos do primeiro grau e Rainhas.
Estou trabalhando o livro 2 de A Cruz de Zeta, ainda sem previsão de lançamento e num romance que envolve a bela história de uma família.





Mensagem para os leitores

Nunca deixem de ler, pois a leitura nos leva ao conhecimento e entendimento da vida. Através da leitura você pode experimentar várias vidas e ter tantas experiências quanto as histórias podem te proporcionar. Além disso, a leitura te ajuda a melhorar a compreensão de textos, acumular vocabulário e melhorar a compreensão de sua própria língua. 
Portanto, leiam e vivam!


Nenhum comentário:

Postar um comentário


© BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: MARY DESGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo