Leitor Escritor/Escritor Leitor - EU QUERIA - Evellyn







É preciso também ter maturidade e força para deixar ir o que você não pode fazer mais tanto bem. Eu sei que sofreu, e insistiu. Teve os seus momentos e o seu tempo. Tive e estou tendo os meus também. Mas de uma coisa você sabe, não te dei dúvidas do que eu sinto, do que eu quero, do que eu preciso. 

E sabemos que é diferente do que precisa. Parece que pela primeira vez desde o dia que te conheci, estamos traçando nossas vidas em sentidos opostos. Não mais como um casal, um casal juntos ou um casal separados mas que se amam e querem sim, se encontrar e reencontrar quantas vezes tentarem e a vida permitir. 

Nos encaixamos em "não sei", é a definição que nos veste hoje. Eu poderia bater o pé e te pedir para ficar, pedir não, mandar. Mas eu entendi que não posso fazer nada sozinha, entendi que mesmo batendo o pé, há quem diga não. Só não queria que você me ensinasse isso dessa maneira, não você... Eu poderia te pedir de joelhos que me desse mais uma chance, mas entendi que só existe chance, quando todos os lados envolvidos desejam a mesma coisa. E o nosso caso, eu desejo você e você deseja tempo. 


Eu poderia pedir que acreditasse em mim, mas como? Se nem eu acreditei em você, e quer saber? Não acredito em mim também. Mas sim, acredito nesse sentimento que me faz sentir pela primeira vez o que nunca havia sentido antes, o que sempre havia imaginado que sentia com outros, o que só você pôde me mostrar de fato, o amor. Me fez sentir. E não há como explicar essa coisa toda, não é simplesmente a definição clichê de tremedeira e borboletas no estômago, é mais que isso, é gratificante até, tive a oportunidade de conhecer o que sempre acreditei e lutei para acreditar, ainda que o mundo o julgasse de diversas maneiras, até como besteira, eu acreditei nesse sentimento. 


E senti. 
Eu poderia te lembrar todos os momentos bons que vivemos e não, não foram poucos, imagine, em meses de nossas vidas tivemos tantos momentos bons, imagine anos. Pensando bem, não imagina não. Eu poderia te falar que o meu celular parece sentir tua falta e insiste em deixar teu contato como recente, não sabendo ele que você se foi já faz um tempo. Eu poderia te falar que eu sinto vontade as vezes de rasgar tudo de material que marcou o nosso pequeno infinito, os ursos, os bilhetes e cartas, a corrente, o coração, as fotos e até mesmo o sentimento que guardo no peito, queria poder rasgar tudo o que me faz lembrar você e me faz sentir uma saudade insuportável, mas algum outro sentido me impede, e sinto muita raiva dele, confesso. 

Eu poderia te falar que todas as vezes que eu durmo, acordo assustada sentindo o teu cheiro, achando que você está deitando na minha cama tentando não me acordar, que está me abraçando e me amando de novo. Eu poderia te falar que os lugares que fomos juntos sempre terá sua cara, sempre me lembrará você, e até mesmo aqueles que não chegamos a ir, mas planejamos ou sonhamos juntos. Eu poderia te falar que as vezes quero acreditar que tudo não passa de um pesadelo e você voltará para viver o nosso amor. Eu poderia te falar que eu tenho medo, mais medo ainda. Eu poderia te falar que você me acalma quando tudo parece dar errado. Eu poderia te falar que ainda lembro dos teus trejeitos. Que parece que o tempo não passa sem você. Eu poderia te falar que isso tudo dói demais e que tudo o que mais queria era que você me dissesse "Está passando, meu amor." Eu poderia te chamar para fazer aquela sobremesa que não deu certo da outra vez. Poderia te pedir para bater os ovos e pôr o leite aos poucos, ou para untar a forma. Queria poder tirar aquela louça da sua mão de novo, que você teimava para lavar. Queria te melar de novo. Queria que me abraçasse enquanto eu mexo o creme no fogão, com medo de embolar. Queria que me olhasse, me ajudasse ou só ficasse ali do meu lado, parado, e eu pudesse sentir a tua presença, o teu amor. 

Queria passar de novo aquela tarde inteira na piscina, e eu com o meu sonho de ficar morena, você rir. Queria realizar aquele nosso sonho da praia. Queria passar aquela virada de ano contigo que nem chegou à acontecer. Queria tomar aquele açaí. Aquele Mc Donalds que me faz sair da dieta, mas para acompanhar você, eu comia "é a ultima vez, só hoje". E era todas as vezes que fizesse aquela carinha de "Quero Mc, come comigo" Queria procurar alguma coisa nova para comer contigo e sempre pararmos no Mc. Queria te falar daquela loja que tenho que voltar para comprar aquele sapato da vida. Queria vir para casa devagarzinho, para passarmos mais tempo juntos. Queria acordar do teu lado, e te beijar sem importar com nada. Queria ir naquele show em que parece ter sido só eu e você, e cantarmos todas as musicas juntos e se olhando. Queria te levar uma comida (sem catupiry) para você. Ou uma pizza metade calabresa sem gosto, e a outra frango com catupiry porque eu amo. 


E amo você também. Mais você que o catupiry na verdade. Queria poder te pedir para tomar suco ao invés de Coca, e queria poder tomar Coca quando me pedisse para tomar com você. Eu queria poder guardar aquele dinheiro que nunca guardo, para fazermos aquela viagem que não fizemos. Eu queria repôr o cheiro do neguinho para dormir com ele. Eu queria usar aquela roupa nova com você, para você me perguntar "Comprou esse que dia?" Queria poder assistir um filme no cinema, mas ele tem a sua cara e o seu corpo e tudo mais, então não posso sentir mais saudade. Queria olhar a lua de noite, mas eu sinto tanta falta, que não consigo olhar mais que alguns poucos minutos. Queria ir na pista de skate olhar o por do sol no fim de tarde, mas as lembranças daquele lugar são suas, e com você. Queria te pedir que comesse, mas já estou sabendo que está fazendo uma dieta de engorda, enquanto eu quero emagrecer mesmo. 

Eu queria que sentisse a minha falta como eu sinto de você. Eu queria calma, mas com você. Eu queria tempo, mas com calma. Eu não queria despedidas, mas é preciso ser forte. É preciso deixar você ir e pedir a Deus que você permaneça sempre feliz. E quero te dizer que, você foi o meu primeiro e verdadeiro amor. E eu queria aquela surpresa de você aparecer aqui. Eu queria aquele sorriso para mim. Aquele beijo que te deixa louco, nos deixa loucos. Aquele "To aqui na porta". Aquele "Almoça lá em casa hoje". Aquela força que você mostrava ter. Aquela leveza e força ao mesmo tempo, aquele desejo, a insistência, a positividade. "Ah, amanhã tem um aniversário para a gente ir." E eu demorar de me arrumar, não por pirraça, mas tenho que tá bonita para você falar "Tá linda". Ou ouvir você dizer "Hidratei o cabelo do jeito que me ensinou" - isso me fez rir agora. Eu queria aquelas certezas. Eu queria aquela compreensão, aquele "calma, to aqui com você". Eu queria que você entendesse os meus ciúmes como eu entendia os seus e achava um tanto fofo e um outro tanto bobagem, porque pensava "Como é que ele não vê que eu só o amo? Mds". 

Eu queria fazer minhas loucuras mesmo, e ter alguém que não me julgasse por isso. Eu queria continuar saindo daquele colégio podendo sorrir, porque só mais alguns passos e eu ia te abraçar. Não queria sair e te procurar de longe, para ver se você está na farmácia hoje, mas sem mim. Eu fico triste quando entro naquele mercado, na verdade, não entro mais, a última vez que entrei saí quase em prantos. Eu queria te fazer surpresas. Queria realizar as surpresas que eu planejei. Eu queria sim, postar uma foto nossa, mas não posso. Eu queria ser eu de novo e não ter medo disso. 
Eu queria te ter de novo e não sentir medo de você ir.








BIO

16 anos, estudante, baiana. Pretendo cursar psicologia!! Desprende-me das falas, meu amigo é a escrita. Desabafo constante, fidelíssimo aos meus sentimentos

Nenhum comentário:

Postar um comentário


© BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: MARY DESGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo