Mês das crianças - O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry



Ano: 2003  
Páginas: 96
Idioma: português 
Editora: Agir



SINOPSE:

O Pequeno Príncipe, devolve a cada um o mistério da infância. De repente retornam os sonhos. Reaparece a lembrança de questionamentos, desvelam-se incoerências acomodadas, quase já imperceptíveis na pressa do dia-a-dia. Voltam ao coração escondidas recordações... O reencontro, o homem-menino.




RESENHA:
Enigmático;
Cheio de metáfora;
Super encantador.
O livro tem narração em terceira pessoa e é para criança, jovem, adulto, mulher, homem, pai, mãe, idoso e todo tipo de ser humano inteligente, com um coração esperançoso.

Inicia contando a vida do piloto. Ele desistiu da carreira de desenhista para ser piloto, pois os adultos nuncam entendiam seus desenhos.
E é, neste primeiro ponto, que o autor relata conflitos entre o universo do adulto, com o mundo das crianças.

Como piloto, em certo dia, viajando, seu avião tem uma pane, levando ele cair no deserto do Saara.
Dia seguinte à queda, ele é acordado por um menino loiro, perguntador e insistente, pedindo para desenhar um carneiro. Assim, surge uma amizade enigmática, onde a fantasia é um universo pequeno.

A obra apresenta um mundo criativo em que o príncipe vive seus valores. O pequeno faz uma viagem por inúmeros planetas, até o destino final,  a Terra. Ele deixa sua rosa para trás, e isso faz com que ele fique cada vez mais sentimental, a medida que conhece outros planetas.
Ele conhece um bêbado, homem de negócio, geógrafo, raposa e serpente já chegando no planeta  Terra. Em todos os planetas ele tira uma lição de vida e entende cada vez menos o mundo dos adultos.

A obra tem uma linguagem bem tranquila, podendo ser lida por adultos e também crianças. Para as crianças sempre tem uma explicação naquelas palavrinhas mais complicadas. Sem deixar as metáforas de lado.

“O Pequeno Príncipe”  é um dos livros mais traduzido do mundo, igualando a Bíblia e Alcorão.
Sobre o Autor:

O livro é tão maravilhoso que não pode deixar de falar do escritor. E quando conhece sua história de vida, acaba descobrindo, que o livro pode ser um pouco autobiográfico, ou pelo menos inspirado em sua própria vida.
Veja bem!

Antoine de Saint-Exupéry Nasceu em Lyon no dia 29 de Junho de 1900 e faleceu em 31 de Julho de 1944, no litoral Sul da França. Ele foi um escritor, ilustrador e piloto francês. Por este pequeno detalhe, percebem a descrição de um personagem do livro.

Neste livro, ele mostra seu dom com criança, transformando sua vida, história em narrativa simples, encantadora, fantasiosa e apresentando muitos valores úteis para formação de um ser humano, ensinando como erramos, na avaliação das coisas e dos indivíduos que nos cercam, resultando estes  julgamentos em uma  profunda solidão.

Foi um escritor, ilustrador e piloto da Segunda Guerra Mundial, terceiro filho do conde Jean Saint-Exupéry e da condessa Marie Foscolombe. 

Apaixonado desde a infância pela mecânica, estudou a princípio no colégio Jesuíta de Notre-Dame de Saint-Croix, em Mans, de 1909 a 1914. Neste ano da Primeira Guerra Mundial, juntamente com seu irmão François, transfere-se para o colégio dos Maristas, em Friburgo, na Suíça, onde permanece até 1917. Quatro anos mais tarde, em abril de 1921, Antoine começava o serviço militar no 2º Regimento de Aviação de Estrasburgo, depois de reprovado nos exames para admissão da Escola Naval.

Na leitura encantadora encontra-se As lições e valores.

                                                                                                                    By:
www.patriciabritto.com




2 comentários:

  1. Este livro é muito bom, traz muitos ensinamentos importantes.
    atraidospelaleitura.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindo de mais. Fiquei encantada com a leitura. É de tirar o chapéu.
      Obrigada pela visitinha.
      Beijos

      Excluir


© BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: MARY DESGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo