Trivialidades - TMartins





Queria te contar que mudei e que agora sou mulher feita, independente com repertórios de assuntos atualizados. Finalmente,em tempos,tenho uma novidade para te falar. Mas não sei por onde começar...
Olha, cortei os cabelos, mudei um pouco o estilo, os móveis de lugar, conheci pessoas, briguei com alguns amigos e estou pensando seriamente em viajar. Agora são oito tatuagens e duas cicatrizes. Larguei os cigarros, só bebo aos sábados e parei de assistir desenhos de madrugada. Fui à praia, mas como de costume não entrei no mar. Não aplaudir o sol e esqueci o protetor solar, mas me lembrei dos conselhos do Bial. Lembrei também que você ficou de me ensinar a nadar.
Colocando assim na ponta do lápis a vida é mesmo um saco, repleta de trivialidades e olhando bemé um amontoado de coisas insignificantes. Só mesmos os sonhadores para encontrar beleza nesse infinito cotidiano.

Sentir vontade de ligar, de dizer que aquele amor bonito não morreu, de te contar sobre meus planos de futuro bom. Pensei em aparecer para te mostrar como estou bem e que já juntei meus caquinhos, me recompus e agora refeita posso ser tua como nunca fui para ninguém. Inteira, plena, completa, redundante.
Mas mais que isso, eu estou finalmente pronta com os braços abertos, a cara debochada e uma vontade louca de viver histórias inéditas. Não se assuste quando o seu telefone tocar é que no fundo eu sempre quis voltar só estou esperando a hora certa junto com um milimétrico sinal teu.
Ah, a primavera chegou podíamos vagar pelos jardins, colorir nossa história, fazer amor de madrugada, admirar a lua tomando um vinho barato de supermercado; sei lá, podia sumir ou aparecer com um novo alguém.
A vontade é grande, a saudade maior. Contudo, nunca será capaz de entender que tudo isso é para você, todos os outros foram pra você. As rimas piegas, as frases clichês, as músicas românticas, tudo, tudo... E de nada adiantou. Por enquanto resolvi não ligar, embora sinta saudade de ouvir a tua voz no meu ouvido. O fato é que enquanto perco-me no meu eu-lírico, você nem segue perde a razão.


TMartins

Nenhum comentário:

Postar um comentário


© BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: MARY DESGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo