Quissama - Maicon Tenfen - Semana Escritor


SBN-13: 9788578481377
ISBN-10: 8578481372

Autor: Maicon Tenfen
Ano: 2014  

Páginas: 308
Idioma: português 
Editora: Biruta


SINOPSE

Quissama - Rio de Janeiro, dezembro de 1868.
O moleque Vitorino Quissama foge da senzala para procurar a mãe desaparecida. Recorre ao viajante Daniel Woodruff, ex‑agente da Scotland Yard que pode ajudá‑lo em sua missão. Transitando entre os salões da corte e as precárias moradias dos cortiços, a dupla terá de enfrentar os perigos e as injustiças de uma sociedade sustentada pelo trabalho escravo.
Baseado nos manuscritos de Daniel Woodruff (1832-1910), O Império dos Capoeiras reconstitui a saga de uma cidade dividida pela guerra secreta dos Nagoas e Guaiamuns, duas das maiores e mais temidas maltas do século XIX. Numa época em que o escritor José de Alencar era Ministro da Justiça e o Império do Brasil destinava todos os seus recursos à Guerra do Paraguai, Woodruff mal podia imaginar que, por trás da busca pessoal de Vitorino, insinuava‑se uma conspiração que mudaria os rumos da nossa História.


RESENHA


Um livro surpreendente e histórico, assim início apresentando Quissama - O Império dos Capoeiras. E é  também nesta resenha que marca o retorno do blog após um mês de férias.

Portanto, retornando aos trabalhos  com a Semana Maicon Tenfen.


O livro Quissama é rico em detalhes, inicia com uma narrativa do escritor contando como nasceu a ideia do livro, em seguida tem a narrativa da história e finalizando com algumas páginas extras contendo notas e outras explicações. Na minha prateleira até agora foi o livro mais bem trabalhado que encontrei. Desde capa até a última folha, e a forma como também foi elaborando a divulgação, como por exemplo, a preocupação do autor em ter música própria para a obra. 




Quissama é narrada em primeira pessoa; quem dá o tom dá trama é o Inglês Daniel Woodruff. A estória do livro parte de um manuscrito achado no Arquivo Histórico do Rio de Janeiro onde Daniel “testemunha ocular” presenciou a infância miserável ainda na Inglaterra, vivenciou como agente da Scotland Yard, a perda da família e mendigo em Londres. Mas foi a narrativa de 1860 que veio a inspiração para o escritor Maicon Tenfen, onde Daniel descreve sua vivencia entre o Rio de Janeiro e Paraguai. Passa nos anos de 1869. Trata-se, em partes, de uma leitura histórica, contendo a combinação de ficção e realidade, onde nos deparamos com personagens fictícios e reais, sendo este o charme central do livro.

A estória se baseia no encontro estrondoso entre Daniel Woodruff e Quissama Vitorino. Fico a imaginar lendo os primeiros capítulos como um encontro não casual pode mudar tanto a rotina de um ser? Neste acontecimento, muda a vida de Daniel, inglês que depois de ter sucesso ao desvendar um caso misterioso de sequestro, tem sua vida transformada ao esbarrar com o escravo fugitivo, o Quissama. Não foi meramente um encontro casual, pois Quissama, o moleque, tinha seus interesses de encontrar e conhecer o inglês. Assim inicia a leitura


O interesse do então “moleque” Quissama é único: encontrar sua mãe; imagina-se que sumiu da senzala ou foi vendida. Já o interesse de Daniel é somente retornar ao seu país de origem. Quissama acredita que Daniel seja o único que pode encontrar sua mãe, é também, o único que ele confia para desvendar este mistério.

Quando estamos nos apegando e sensibilizando com a busca de Quissama análogo a isso, vem uma enxurrada de aula de história envolta, claro, a leveza típica que se dar em um romance. Entre tantos fatos, conta à história da capoeira, a guerra entre Nagoas e Guaiamuns. Pesquisando rapidamente na internet (Já arrependida por não ter prestado tanta atenção nas aulas de história) descubro que são duas maltas. O que deu para entender foi que havia dois maiores grupos de capoeira rivais que dominava o Rio de Janeiro na época. Onde a primeira malta é conhecida por ter componentes de origens africanas e a segunda por ter a miscigenação. Se for aprofundar a história destes, você apaixona-se ainda mais pelo livro. Inclusive, pela curiosidade, pois está guerra aconteceu na época em que o José de Alencar era Ministro da Justiça, o que nos remete sempre para dentro de um romance.

O livro vai além, se a primeira parte demonstra os conflitos envolvidos de Quissama, a mãe desaparecida e as tentativas de Daniel em retornar a sua terra, na segunda parte o livro fica mais intenso, mais emocionante e já inicia com cenas fortes, protagonizada pelo Daniel; onde até água suja ele ingeriu. À ainda a suspeita da morte de Amâncio Tavares, personagem que entra na primeira parte do livro, e em cada pagina depara-se com muitas injustiças, lutas, sangue, fugas, vida escrava, em seguida continua com as guerras, jogos políticos. Narrada no livro de forma mais realista e menos rebuscada, tentando ser original ao máximo no  ano de 1860, por exemplo, expressões como “vosmecê” ou “Careço”.


São essas histórias paralelas que apresenta um charme no enredo. Ter José de Alencar no decorrer da leitura é algo intenso e me fez consumir a leitura com uma velocidade fora do normal.

Quanto mais capítulos avançam, mais suspense é criado, consequentemente mais perguntas ficam. E aquele gosto de final que não tem final é meio que desesperador. Felizmente sabemos que o livro não é único, fico aqui aguçando minha curiosidade, perguntando o que o escritor Maicon Tenfen prepara para o próximo livro? 


E nos resta uma única opção: E-S-P-E-R-A-R







O QUE AMEI: A riqueza da história que tem o livro, o cuidado que o escritor, Maicon tem nos detalhes da cena. Fiquei fã, também, de como o livro foi trabalhado, como, inclusive, podem ver nos vídeos postados. Nas fotos que tem em alguns capítulos, mostradas no decorrer desta resenha. Mas o melhor para mim de toda a leitura do livro foi deparar com personagens reais no enredo do livro, como D.Pedro I, José de Alencar e princesa Isabel.

O QUE NÃO GOSTEI: Nada que me fizesse desencantar com a obra. Aliás, só o fato de ter que esperar o Maicon escrever o próximo livro. Curiosidade é meu sangue e já consumiu minha pessoa.

RECOMENDO: SIM! É um livro que me fez sair da zona de conforto e apaixonei. Portanto, recomendo a todos conhecerem e entrar na vida do Quissama e Daniel. E porque não dizer na própria "historia do Brasil"!


***

Olha como o livro foi muito bem  trabalhado. Fica fã de escritor que tem essa preocupação, com os detalhes da sua obra. O vídeo a seguir mostra o depoimento de como foi elaborada as ilustrações do livro. Vejam: 




E olha que legal, o livro agora virou jogo. Mas para esse jogo virar realidade precisa de uma força. Veja esse vídeo que o Ricardo apresenta.



Vejam este vídeo mais longo que o  próprio escritor participa.




 Amanhã tem mais sobre o escritor, uma entrevista bacana com Maicon Tenfen.


Nenhum comentário:

Postar um comentário


© BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: MARY DESGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo