Anaté Marger - Entrevista



Anaté Merger  é escritora, Formada em jornalismo e com um mestrado em comunicação internacional no Institut d'Études Politiques em Aix-en-Provence, Anaté Merger. Ela trabalhou por 17 anos como jornalista em várias emissoras de TV e jornais brasileiros até se mudar para a Provence em 2004. 

O primeiro volume da série SagradoS - "A Aliança  de  Maria Madalena" - foi a estreia da autora no selo Ases da Literatura. Logo depois surgiu de suas mãos a  obra Amor em Jogo (Para ver resenha, clica aqui). Anaté tem outros textos escrito em contos com a antologia de Amores Impossíveis e Segredos de família. Vamos conhecer mais sobre essa talentosa escritora em uma entrevista surpreendente onde ela fala dos seus gostos literários, seu amor pela profissão, dificuldades, desafios e satisfações pelo belo trabalho.





 

 1. Antes de conhecê-la com escritora, o blog Leituras Plus gostaria de conhecer você inicialmente como leitora. Com que idade iniciou seu amor por leitura? E qual livro foi o maior incentivador?
Comecei a ler muito cedo. O meu pai lê muito e sempre estive rodeada de livros, mas não posso precisar quando me interessei pela leitura. Foi algo natural que se fez aos poucos através das histórias em quadrinhos e livros.

2.Qual seu gosto literário? E qual tipo de leitura você não aprecia?
Sempre gostei muito de fantasia, ficção, policiais, romances de época, mas independente do gênero literário, gosto de uma boa história contada com talento. O que não gosto? Histórias que não surpreendem, com estruturas óbvias, personagens rasos que não me façam sonhar.

   3. Qual livro você contempla a leitura infinita vezes e emociona em todas que reler?
Difícil escolher apenas um, mas sempre gostei muito de Sidarta e do Pequeno Príncipe, bons em qualquer tempo e para qualquer idade.

  4. Algum livro você apreciou a leitura empolgada e decepcionou?
Sinceramente não me lembro.



5. Já chegou a abandonar alguma leitura?
Sempre tento não abandonar a leitura. Sei qual é o trabalho que existe por trás de qualquer livro, mas às vezes, admito, algumas histórias não conseguiram me prender o suficiente para que terminasse de ler rapidamente, mas mesmo assim me esforcei para concluir o livro. Não me lembro de ter abandonado nenhum.

6. Dos novos escritores da atualidade, e dos consagrados qual você apreciou a leitura e tornou-se inesquecível? 
Ainda estou descobrindo os escritores da atualidade. Os livros em português que chegam na França são pouquíssimos, é muito raro ver um autor brasileiro - que não seja Paulo Coelho - em uma livraria por aqui. Felizmente, com os livros eletrônicos pude começar a ler os novos autores.

Conhecendo um pouco  Anaté.

   7. O que levou você a começar a escrever? Quando esse amor surgiu?
Eu comecei a trabalhar como apresentadora de TV aos 17 anos, na TV Ponta Negra em Natal e nunca mais parei de escrever. Com o fim da minha carreira na televisão - em 2004 na TV Justiça - continuei a fazer matérias para o blog da minha agência de viagens (Na Provence) e agora me divirto muito escrevendo ficção.

  8. Qual a maior dificuldade você encontra para iniciar a escrever seu livro?
Persistência. Começar a escrever não é o problema, terminar o livro é o maior desafio e para isso é preciso método, continuidade, rotina e muita concentração para não se distrair do objetivo.

9. Quanto tempo demora em escrever um livro?
Depende. O primeiro livro da série SagradoS - A Aliança de Maria Madalena - levou muito mais tempo para ficar pronto do que Amor em Jogo. Em SagradoS, que uso muitos elementos que existem de verdade (livros de magia, templários, histórias, lendas) e que exigem horas e mais horas de pesquisa, além de ter muitos personagens e histórias paralelas como o gênero exige. Amor em Jogo é um romance contemporâneo e mesmo se a trama é mais complexa do que parece, precisei de sete meses para ajustá-lo antes de enviar à revisão.

10. Você tem uma rotina para escrever livros? Se sim, qual?
Pela manhã, assim que deixo as crianças na escola e tomo café da manhã, começo a trabalhar nos projetos literários. Faço isso por duas horas ouvindo música, pausa, mais uma hora de trabalho até o almoço. À tarde, resolvo os problemas da agência e respondo os e-mails.

11. O primeiro volume da série Sagrados - "A Aliança de Maria Madalena" - no selo Ases da Literatura. Como surgiu a ideia para seu primeiro livro?

Durante uma visita à gruta de Maria Madalena, fiquei fascinada com o local, com a energia que circula por lá, além de muito interessada pela lenda local que não conhecia. A ideia de SagradoS surgiu logo depois.

12. Como é a rotina de compor os personagens? Você observa suas amizades? Tem um pouco de você?
Sim, observar faz parte do trabalho do escritor. Os meus personagens têm muito de pessoas conhecidas e principalmente de desconhecidos que vejo nos meus passeios pela região e sim, acredito que todo autor deixa um pouquinho da sua alma em cada livro.

     13. Paralela a profissão de escritora você trabalha com Turismo e já trabalhou por muitos anos com Jornalismo. Você acredita que suas profissões influenciaram? Se sim, de que forma?
Sem dúvida nenhuma. Como jornalista, estou acostumada a uma certa rotina de leitura e escrita, além da pressão do deadline imposto eventualmente. Foi essa vontade de escrever continuamente que me fez criar o blog - embrião da agência de viagem - com os textos sobre os passeios por aqui.

14. Qual dificuldade você encontra para lançar e divulgar seu livro?
O mesmo que qualquer pessoa que começa uma nova atividade encontra: a falta de conhecimento sobre o mercado. Mas isso se dribla aos poucos, com as dicas dos escritores mais tarimbados e dos blogueiros que se tornaram amigos.

15. Quais autores são referência para o seu trabalho?
Gosto de tantos que seria injusto citar apenas alguns, mas tenho uma certa predileção pelos textos de Conan Doyle, Victor Hugo, Jane Austen e Alexandre Dumas, por exemplo.

16. Durante esse seu caminho como escritora, cultivou relações ou conhecimentos com alguns desses escritores?
Estou começando a descobrir um mundo novo e uma nova geração de escritores, principalmente os jovens brasileiros que estão se lançando nessa aventura e estou começando a criar laço com alguns deles.

17. O leitor é a peça primordial para o sucesso de um escritor. Como você cultiva a relações com seus leitores? Você procura saber dos resultados das leituras dos seus livros? Troca ideias de personagens ou cenas com os leitores?
Sem dúvida nenhuma o leitor é a principal peça da engrenagem. Sem ele o livro não existe. Verifico sim, as opiniões e críticas e as recebo muito bem independente de serem positivas ou não. Com relação a troca de ideias isso acontece com os leitores-beta que recebem o livro em primeira mão antes de ser publicado.

18. Como você recebe as críticas das suas obras?

Com a serenidade de quem está sempre aprendendo.

     20. Viver da literatura no Brasil não é nada fácil. Você mora em outro país, e ainda assim e exerce outra profissão. Essa dificuldade existente no Brasil é real também fora do nosso país?
Não posso responder a essa pergunta, os meus livros ainda não foram traduzidos para o francês.

21. Com tanta diversidade de publicações no Brasil como: romances, novelas, coletâneas de contos entre outros, você acha possível sobreviver da escrita no nosso país?
Sempre achei que com talento e perseverança é possível ter sucesso em qualquer área, principalmente se a sorte de encontrar as pessoas certas aparecer.

22. Neste intervalo de publicações entre os livros, sem dúvidas, sua bagagem de leitura e escrita aumentou. Você teve mais facilidade para desenvolver a narrativa?
O aprendizado é longo, mas acredito que a prática leva ao aperfeiçoamento. Espero ter muito mais tempo nesse ano para continuar escrevendo e eventualmente melhorando.

23. Você mora na França em Provence? O que fez você mudar de país? Tem vontade de retornar?
Conheci o meu marido no Brasil e depois de um tempo de namoro me mudei para a cidade dele, há mais de dez anos! Não pretendo retornar ao Brasil, a minha vida está na Provence.

      24. Você um dia foi, filha e leitora e hoje você é, mãe e escritora, não deixando nunca de ser uma eterna leitora. Como você trabalha o incentivo a leitura para seus filhos?
Ouvi dizer que filhos imitam os pais. Os meus me vêem constantemente com um livro nas mãos, assim como o meu marido, outro fã de literatura. Ler é um hábito na minha casa. Os meus filhos têm muitos livros à disposição e na escola existe o dia de visita à biblioteca onde eles pegam um livro e devolvem na semana seguinte.

   25. Como você observa a literatura infantil e dos jovens no Brasil? Acredita que os avanços a tecnologia e vícios como as redes sociais, prejudicam ou incentivam a leitura?
Ótima pergunta! Estava justamente pensando nisso, por que terminei um livro infanto-juvenil e preciso dar uma olhada no que está sendo proposto às crianças, mas ainda não posso responder a essa questão. Quanto à tecnologia - jogos, TV, etc - isso depende de como os pais lidam com a situação. Os meus filhos têm acesso à tablete e a TV, mas não é por isso que não encontram tempo para ler.

26. Como você avalia o cenário dos e-books no Brasil?
Um maravilhoso mundo novo! Estou amando a enorme possibilidade que se abriu para os jovens e desconhecidos escritores, agora só depende dos leitores abraçar a causa do livro eletrônico.

27. Você já participou de livros de contos. Você crê que existe preconceito contra algum gênero literário no Brasil?
Não acredito em preconceito literário, apenas em gosto. Tem gente gosta de fantasia, outros nunca leram o gênero. O importante é ler.

28. Como você ver as feiras literárias? O que isso beneficia no mundo dos escritores?
Qualquer evento feito com a intenção de divulgar a literatura e os novos autores tem o meu respeito. Que sejam realizados muitos durante o ano todo em todo o Brasil!



29. Hoje a febre entre o mundo da comunicação são os blogs. Os blogs literários são cada vez mais crescentes e sempre cheios de novidade. No seu ponto de vista como escritora, como você analisa esses blogs literários?
Extremamente importantes. Os blogs são uma ponte interessante entre o autor e o leitor, e as resenhas podem atrair novos leitores curiosos para descobrir a história em questão. Blogueiros e autores devem trabalhar de mãos dadas e todos ganham, principalmente o leitor.

30. Quais dicas você deixaria para escritores iniciantes?
As mesmas que repito para mim mesma todos os dias, afinal eu me considero como uma iniciante: paciência, persistência e foco na rotina.

31. Quais são seus próximos projetos literários?

Este ano lanço um guia em português sobre a Provence por uma editora especializada em guias. O segundo volume de SagradoS também sai este ano e o livro infanto-juvenil foi enviado à algumas editoras, vamos aguardar para ver qual vai ser o futuro dele.

3 comentários:

  1. Ficou ótima a entrevista. Como falei, estou amando essa semana do autor e estou ansioso para as próximas postagens.

    Autor de A PÁGINA CERTA
    www.laplacecavalcanti.com

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a entrevista. Suas perguntas foram excelentes e as respostas dela foram igualmente boas. Ela é uma bela mulher. Gostei muito do seu post. Parabéns. Seu blog está cada vez mais perfeito. Abraços!

    obrasdeumjovemescritor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Vinícius. E prepara que quarta....ops...amanhã é a sua vez! kkkkk

      Abraços.

      Excluir


© BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: MARY DESGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo