De Todas as Coisas - TMartins


De todas as coisas...

Relendo nossas conversas pude notar que o que nos juntou foram nossas frustrações, foi uma espécie de compartilhamento de histórias tristes e parecidas, entendia sua decepção ao ponto que você entendia meus arrependimentos... A desilusão nos união e como o mundo não para de girar me apaixonei, me encantei e mais uma vez, me ferrei. Não se sinta vilão, essa parece ser minha sina de mocinha indefesa com um coração vagabundo sempre disposto a perambular em meios sorrisos...

De todos os caras que por aqui passaram você foi o que tive certeza que não iria durar, alias até agora não sei como continuei aquela conversa chata. O certo é que sem perceber foi tornando-se mais próximo, menos esquisito, mais charmoso; uma equação perfeita para mais uma vez amar eternamente nos próximos três meses. Sim, meus amores platônicos duram menos que a estação, e daí? Talvez pela minha coragem desbravadora de me entregar de corpo e alma, às vezes mais em corpo às vezes mais em alma, o fato é que vivo em extremos. 

Bebo muito, rezo pouco, tenho muitos sapatos e nenhuma roupa para sair, tenho uma lista negra, mesmo não guardando rancores. Ou talvez seja somente um desses desvios que a vida faz, tirando a gente dos eixos por puro prazer de nos mostrar o quanto pode ser mágico viver com borboletas no estomago.

De todos os desejos, desejei que as conversas durassem sempre um pouco mais, essa nossa mania de tecer comentários críticos e irônicos sobre a vida alheia daria um excelente SitCom (sem as gargalhadas de fundo); a incompatibilidade musical me mostrou que é possível ouvir um samba não estando em fevereiro. Vai vê foi isso: o teu mistério se esconde em um daqueles sambas calmo, sereno que dura o tempo suficiente. Feito os do Cartola que a gente sente falta antes de chegar ao final, porque vai se acabando, esvaindo... Este foi teu segredo.

De todas as coisas, queria novamente o teu jeito de me olhar, ainda que fosse um olhar meio vesgo meio sonso, era quase um abraço com direito a declarações sussurradas ao pé do ouvido. Aquela malícia que só quem deseja tem e só que é desejada sabe. Fazia do teu peito um abrigo, seus pêlos um incentivo para minhas mãos descobrirem os melhores caminhos. Já não consigo disfarçar.  Chegamos a um ponto que a amizade colorida tomou contornos abstratos, e dentro desse corpo de mulher moderna, vive uma moça que sonha em encontrar o príncipe. Nunca foi minha intenção. Juro.  Mas meu coração é descarado faz o que bem quer.


Dessa vez não vou correr atrás fingindo arrependimento, ou fazer alguma gracinha em forma de desculpas. Preciso me certificar que sentes realmente algo, ou se fui somente uma companhia para tempos difíceis; ainda assim de todas as coisas espero um convite inoportuno cheio de terceiras intenções justificado com um vinho tinto barato. Peça-me pra ficar, eu fico.

4 comentários:

  1. Gostei. Um texto bem interessante. Parabéns.

    Abraços.

    obrasdeumjovemescritor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. bem legal o texto...adorei
    tonsdeleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. oii Patricia te marquei em uma tag no meu blog da uma passadinha la!!
    bookmoda123.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. oii Patricia te marquei em uma tag no meu blog da uma passadinha la!!
    bookmoda123.blogspot.com

    ResponderExcluir


© BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: MARY DESGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo