CAMINHOS DAS BORBOLETAS - ADRIANE GALISTEU


"Lembrei desse livro e resolvi compartilhar com vocês. Não é exato um romance dos que estou acostumada ler, mas é emocionate ou até bem mais.  Não canso de ler e reler esse livro.Esse ano (2014) fez 20 anos que ele foi para casa de Deus. Esse final de semana acontece o GP do Brasil, tudo faz lembrar nosso ídolo. Fica aqui minha homenagem ao meu ídolo, mundial, e acho que de todos nós."


O Caminhos para as borboletas
Adriane Galisteu - por - Nirlando Beirão
Pag: 103
Editora: Caras
Ano: 1995 



SINOPSE:


Este livro é resultado de trinta horas de depoimentos, gravados em Sintra, Portugal. E de um mergulho num baú repleto de cartas, bilhetes, papéis rascunhados, agendas profusamente anotadas - sim, Adriane Galisteu ainda conserva aquela doce mania de transformar suas agendas em diários teen, engordados com recortes e fotografias e recheados de divagações.Como editor, tentei ser absolutamente fiel a sua narrativa. As mesmas palavras. O mesmo tom de voz - dolorido e emocionado, como vocês irão ver. Conservar o olhar diante do mundo que se abriu para aquela menina que saiu de uma tarde de trabalho num autódromo - a propósito, ela não gostava de automobilismo - para uma vida de princesa ao lado do príncipe das pistas.Duas ou três coisas me emocionam particularmente neste livro. Primeiro, a candura juvenil de quem, nos melhores e nos piores momentos desta love story, sempre se perguntava, perplexa: por que eu? Creio que até hoje Adriane Galisteu não sabe responder a essa pergunta.Há, depois, um detalhezinho que pode parecer superficial, mas que me deu a verdadeira dimensão do que ela viveu nesses últimos meses vertiginosos de sua vida. Repassando as fitas das entrevistas, percebi que muitas vezes Adriane Galisteu se refere a seu namorado no presente. Ayrton é, Ayrton faz, Ayrton quer. Inconscientemente, ela continua a se debater contra a realidade injusta, cruel e dramática da morte do amado.Essa resistência se manifestou de outra forma, mais explícita. Adriane Galisteu foi deixando o final para o final - quero dizer, a morte, o desfecho inesperado, a tragédia, o funeral, a perda definitiva, a incerteza sobre o futuro. Quando, enfim, se decidiu a falar, pediu para gravar sozinha, sem a presença do entrevistador. Com certeza, por pudor - o pudor de ter um espectador para as suas lágrimas.Conhecia Adriane Galisteu tanto quanto vocês a conhecem antes de ingressar nestas páginas. De fotos, das imagens de seu sentido luto no velório e no enterro do herói de todos nós. Agora, posso dizer que a conheço. Por isso, eu a respeito. Por isso, admiro seu caráter e sua força e respeito sua dor.


RESENHA:


Este livro foi o único que li na adolescência. Quando lançou eu tinha 14 anos apenas, e consegui ler em um dia.  É um livro apaixonante e pequeno mas pura emoção do início ao fim.

Eu comecei a acompanha a F-1 nos anos 90, não me lembro quando exatamente, mas lembro que pouco tempo depois, quando estava adorando torcer aos domingos por nosso ídolo (nos meus 13 anos), ele sofreu aquele acidente trágico. Estava acompanhando a história dele com Adriane Galisteu e já achava fofos.



Quando ele faleceu eu estava na fase de colecionar revistas e fotos, e não teve outra alternativa, colecionei tudo do Ayrton Senna e também da Adriane Galisteu. Confesso que deles dois ainda faço até hoje.

Em 95 a Adriane Galisteu lançou a história de amor dela com o ídolo em formato de Livro.  No dia seguinte comprei (tudo referente a ela eu comprava). Foi meu primeiro  livro, que li, reli, mais de 10 vezes e toda vez que pego para ler, me emociono, choro. Ele é tão gostoso que quando pego para ler, faço em um dia. 

A história é linda e emocionante; e saber que aquela historia foi verdadeira e aconteceu, nos emociona a cada pagina.

A história é narrada de trás pra frente. Portanto inicia narrando o dia trágico.

"-Ai, que bom! Ele vai voltar cedo para casa"




Essa parte inicia Adriane contando como viu o acidente, como soube da morte e como foi o velório e enterro. São mais de 10 paginas dolorida de emoção.

Nesse momento de dor ela conta a ida do Senna a Paris, ano de copa, seria também o ano do Tetra da seleção e quem sabe do Piloto.

Quem não se lembra daquela cena dele dando ponta Pé inicial no jogo? Brasil x França .
Boas lembranças que Adriane no meio da narrativa dolorosa, conta.

Na página quinze Adriane conta um pouco sua vontade de aparecer na TV e do inicio da carreira de modelo.
Mais ou menos na página dezoito, inicia sua história com a F-1, como foi o convite e como foi o primeiro dia no autódromo.


Tem algumas cenas inesquecíveis nesta obra. A primeira, é quando o assessor do Ayrton aproxima da Adriane para pedir o telefone de contato e as primeiras trocas de olhares.

A segunda, é na boate quando a Adriane cumprimenta o Ídolo.

A luta do Ídolo para convencer Adriane a ir para o paraíso dos milionários "Angra dos Reis"

E ai entra Outra cena que amo de paixão .... Na verdade, confesso, a que mais amo, que é eles já em Angra dos Reis, quando o ocorre o primeiro beijo. É muito fofo.
Descobrimos até ai um ídolo tímido.

Tem também a cena do cinema, onde sai briga do ídolo com um fotógrafo

A partir daí, começa um namoro fofo na ponte aérea. A primeira viagem dela acompanhando o ídolo na F-1 foi Principado de Mônaco. Viagem deliciosamente narrada.

Como falei e reforço, o livro é emoção do inicio ao fim, página por página. Os bastidores da F-1, conhecer mais o ídolo sentimentalmente, como ser humano normal, com glórias e dúvidas.  

Ja no ano de 94, perto do final da leitura, uma outra cena que também amo, é a briga deles por ciúmes do ídolo. 

No final o livro volta para cena trágica com mais detalhe e cena após o enterro.

O livro é pequeno, qualquer pessoa consegue ler em um dia. Hoje ele não é mais lançado mas sei que depois do primeiro teve algumas novas edições. Também encontra-se em e-book. Tenho todos

Não sei porque diretores não transformaram esse livro em FILME! 
(FICA A DICA!) (Sei, mas prefiro não comentar)








O QUE AMEI: Várias cenas, como o beijo, a briga por ciúmes, as viagens para Angra, Mônaco, Bora-Bora.Os telefonemas.



O QUE NÃO GOSTEI: A Tragédia, é muito doloroso, hoje quando releio o livro, eu pulo essa parte. E por não ser ficção, essa história foi real.



PORQUE RECOMENDO: Uma oportunidade linda de conhecer nosso tímido e fofo ídolo. Fiquei muito mais fã dele com esse livro..



"É UM LIVRO QUE VOCÊ LER 20 VEZES E CHORA AS 20 VEZES"

9 comentários:

  1. Depois dessa ótima resenha fiquei com vontade de ler!! Amo uma história de amor, principalmente quando é verdadeira, e que foi com uma pessoa que é um ídolo nacional.

    Beijos!
    livrosdawis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wislanny é apaixonante arrepiante a história leio e releio e emociono do início ao fim sempre. Você tinha que ler. Nosso ídolo é fofo!!!

      Excluir
  2. Nunca duvidei dessa linda historia de amor. Amigos e pessoas que trabalharam para Ayrton sempre afirmaram que os 2 foram felizes,até onde Deus permitiu. O destino foi cruel com eles. Para quem quiser comprar o livro, basta acessar o site estantevirtual.com Lá é possivel comprar livros usados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa! Eu sou apaixonada e alucinada por essa história e como queria que esse livro virasse filme!!! Vou procurar na livraria que você indicou.

      Excluir
  3. Infelizmente familia dele jamais permitiria. Nem mesmo proposta para fazer um filme biografico sobre ele aceitaram.. Apenas aquele documentario.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Triste isso. Mas se eu fosse uma cineasta kkkkk faria o filme mesmo não sendo o ídolo o personagem, mas de alguma forma contaria essa história de amor. Beijos. Grata a participação.

      Excluir
  4. Li esse livro 21 anos após a morte de Ayrton Senna do Brasil. Emocionante em todos os sentidos. Bacana conhecer a face intima da vida do nosso inesquecível corredor de F1. Por outro lado, fica essa sensação frustante de vida ceifada justamente no momento mais repleto de calorosas intenções e perspectivas de lindas realizações na vida do Ayrton homem, não apenas o corredor. Esse livro é um presente de Adriane para todas as pessoas que amam o "irmão" Ayrton Senna (porque era desse jeito que todos os brasileiros o amavam). Foi a doação de si mesma, das mais ternas e preciosas lembranças de um amor solido, forte e, ouso dizer, invencível. Conhecer os sentimentos dela, sua sinceridade e um pouco do caráter da Adriane Galisteu foi um divisor de águas. Confesso que, influenciada pelas "fofocas" midiáticas, tinha uma certa reserva com o jeito dela pós Ayrton. Contudo, sobreviver a esse trauma não é nada fácil...Superação de um trauma tão grande? Não sei... Mas, acredito que a persistência, o apoio de pessoas queridas e, principalmente, o Amor de Deus são pilares fundamentais que parecem sustentar a vida de Adriane Galisteu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristine eu sou suspeita de falar deste livro. Pois já li mais 18 vezes, praticamente 1x no ano tenho que ler. Eu sou completamente apaixonada pela história do nosso ídolo, dessa história de amor, do ídolo tímido. É muito lindo.

      Meu sonho que essa história virasse um filme. Mas não tenho dúvida que a família dele dificultaria. Mas é um romance lindo, e saber que foi real, que existiu, é de arrepiar.

      Adriane Galisteu conseguir refazer sua vida com dignidade e super respeito a memoria do Ayrton, por isso sou fã dela.

      Obrigada por visitar o blog, ler a resenha. Está resenha é a mais especial de todos que tenho aqui. É meu amor platônico por tudo que consegui com o blog, e ver que pessoas visitam e leiam essa linda resenha, me deixa uma felicidade sem tamanho.

      Beijos

      Excluir
  5. Simplesmente emocionante... Decidi ler o Livro após assistir o documentário... 22 anos depois daquele dia fatídico. E mudei completamente de opinião à respeito de Adriane Galisteu. Por me deixar levar pelas reportagens tendenciosas tinha uma visão totalmente equivocada dela e desse lindo romance que ela viveu com Ayrton. Quando na realidade ela foi sincera e inocente no alto dos seus 19 a 20 anos. Sem dúvidas ela foi vítima de uma família preconceituosa que a desprezou por ela não ser famosa como outras, na época do romance. Mas as fotos mostram que ela foi de fato muito amada pelo Ayrton e isso é o mais importante. Romance de Conto de Fadas. Amei.

    ResponderExcluir


© BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: MARY DESGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo