O pessegueiro - Sarah Addison Allen

ISBN-13: 9788542201253
ISBN-10: 8542201256
Ano: 2013 / Páginas: 256
Idioma: português
Editora: Planeta do Brasil
 Sinopse:
Willa Jackson vem de uma antiga família que ficou arruinada gerações antes. A mansão Blue Ridge Madam, construída pelo bisavô de Willa durante a época área de Walls of Water, e outrora a mais grandiosa casa da cidade, foi durante anos um monumento solitário à infelicidade e ao escândalo. Mas Willa soube há pouco que uma antiga colega de escola – a elegante Paxton Osgood – da abastada família Osgood, restaurou a Blue Ridge Madam e a devolveu à sua antiga glória, tencionando transformá-la numa elegante pousada. Talvez, por fim, o passado possa ser deixado para trás enquanto algo novo e maravilhoso se ergue das suas cinzas. Mas o que se ergue, afinal, é um esqueleto, encontrado sob o solitário pessegueiro da propriedade, que com certeza irá fazer surgir coisas terríveis. Pois os ossos, pertencentes ao carismático vendedor ambulante Tucker Devlin, que exerceu os seus encantos sombrios em Walls of Water setenta e cinco anos antes, não são tudo o que está escondido longe da vista e do coração. Surgem igualmente segredos há muito guardados, aparentemente anunciados por uma súbita onda de estranhos acontecimentos em toda a cidade.

Resenha:
O livro nos conta a história de duas famílias, os Jacksons e os Osgood. Após a família Jackson falir, os Osgood tomam seu lugar como família mais rica e tradicional da cidade de Walls of Water. E todos os fatos que antecedem esses acontecimentos são revelados por Willa Jackson e Paxton Osgood ao longo da história.

Suas avós fundaram o Clube Social Feminino da cidade, e por conta da realização do seu aniversário de setenta e cinco anos de existência, traz à tona todos os segredos dessas duas mulhers, e que influenciaram diretamente a vida de suas netas.

Willa volta a morar na cidade após a morte do pai e sua avó ser internada em uma clínica de repouso. Ela tem uma loja de artigos esportivos, mas não tem amigos, vivendo sozinha na casa que foi de seu pai. Carrega consigo a culpa por não ter dado orgulho a sua família, e ao mesmo tempo ressentimento pela vida que poderá ter tido se sua família não houvesse falido a tantos anos atrás.

Paxton é uma mulher extremamente bonita, que preza por sua reputação, e que ainda vive a sombras dos desejos da mãe e de tudo que ela a orienta a fazer para continuar sendo uma das famílias mais importantes da sociedade. Ela é a atual presidente do Clube Social feminino, e a encarregada da organização do baile em comemoração ao seu aniversário de setenta e cinco anos.

Em uma das providências para o baile, a remoção do pessegueiro para a revitalização da sede do clube, o corpo de um homem é encontrado e essas duas mulheres, Willa e Paxton, vão em busca de respostas para conhecer mais a história de suas famílias e seus segredos não revelados.

Essa busca reacenderá antigas mágoas, e quem sabe dela, poderá surgir uma sólida amizade.


Sobre a autora:
Sarah Addison Allen nasceu em Asheville, na Carolina do Norte. Licenciada em Literatura.
Os direitos de O Jardim Encantado, a sua obra de estréia foram cedidos para 15 países e só nos Estados Unidos venderam-se mais de meio milhão de exemplares. O livro foi distinguido com o prémio SIBA Novel of The Year, atribuído pela Associação de Livreiros Independentes do Sul ao melhor romance de 2008. Em Portugal, O Jardim Encantado foi igualmente um êxito, com mais de 10 mil livros vendidos. O Quarto Mágico, o seu primeiro livro, foi eleito Romance Feminino do Ano pela revista Romantic Times.
No Brasil, seu livro "O Jardim Encantado", foi lançado com o título "Encantos no Jardim"
Seus livros são carregados de magia, amor e histórias envolvendo segredos de família. Os acontecimentos inexplicáveis nos remetem aos contos de fadas, bem como seus romances.

                                                                                                                    BY:
Cristina Daitx
Resenhista Literária & Letrada


Leia Mais ››

Ardósia - Nicolás Irurzun



ISBN-13: 9788579613555
ISBN-10: 8579613558
Ano: 2015 / Páginas: 250
Idioma: português
Editora: Multifoco
Sinopse:
"Um de seus habitantes desprezara a bênção de Santa Edwiges. Viroses, dores de corno, joanetes, todo tipo de tragédia cairia sobre as cabeças nativas. A maioria ignora que tais cartas contêm erros grosseiros de ortografia. Gramática inexistente. A população se divide entre brincadeira de mau gosto ou maldição. Na dúvida, o Prefeito marcou a assembleia. Pulso firme sempre agrada o eleitorado. O Delegado, pra lá de exagerado, procura evitar atentados terroristas."
...Perdida no meio do nada, a cidade de Ardósia conta com habitantes igualmente perdidos em suas limitações, seja no campo da sensatez ou da lógica.
Narrada através de contos, a história dos ardosienses orgulha uns, constrange outros Na tradicional família Dota, a tia Ane é quem mais se incomoda.

Resenha:
  Uma cidade do interior aonde ninguém consegue chegar. Essa é Ardosia, uma cidade do interior que parou no tempo e está cheia de moradores pra lá de curiosos e cheios de crendices. 

O livro é dividido em pequenos contos que vão relatando as aventuras, e porque não dizer, maluquices de seus personagens. Até que acontece o inacreditável, um crime na cidade. E inexplicavelmente, as pessoas curiosas que conseguiram não se perder no confuso caminho até Ardósia, começam a chegar na cidade. 

No final, esse assassinato mostra-se nada complicado. O complicado mesmo, é não dar boas risadas com esses moradores, suas crenças e seus costumes bizarros.


Sobre o autor:
Apesar de nascido na Argentina (no ano de 1972), o autor é paulistano e hoje vive no interior de São Paulo. Formado em jornalismo pela Universidade Metodista, de São Bernardo do Campo. Tem dois livros publicados, Ardósia e Dândis de Selma. Em contato pessoal com o autor, pude observar sua imensa simpatia, atenção e carinho com seus leitores.


                                                                                                                    BY:
Cristina Daitx
 Resenhista Literária & Letrada


Leia Mais ››

Maria isabel & Soraia - Nara Tosta


Mulheres em cena

ISBN-13: 9788592320928
ISBN-10: 8592320925
Ano: 2017 / Páginas: 176
Idioma: português
Editora: Bambual
Sinopse
"Luiz Henrique parecia ouvir as lamúrias de Maria Isabel. Acordou, sorriu e a puxou para abraçá-la e beijá-la. Ficaram juntinhos sem nada dizer. Ela deixou as lágrimas rolarem, e ele, claro, não percebeu. Como mulher, deseja dizer tudo que guardava em seu coração, mas não teve coragem de expor seus sentimentos e se calou."
Não se destrua, Soraia! Você não merece isso!, pensou ela, deixando a força de sua mente se manifestar, olhando fixamente para sua imagem no espelho. Se não ficaram juntos, é por que não era o destino. Tem que encarar essa verdade!"

Resenha


“Todos temos que lidar com perdas: perda de um emprego, perda do amor, perda da vida. A questão não é se essas coisas vão acontecer. Elas vão, e precisamos encará-los. A resiliência vem do âmago, de dentro, e de apoio que recebemos de fora… vem da análise de como processamos [...]”
Adam Grant, psicólogo em depoimento para revista Vida Simples

A edição de Abril de 2018 traz como capa o tema “Coragem para recomeçar” com muitos depoimentos de pesquisadores e suas filosofias de encarar a vida e seus desafios. A matéria reforça muito na questão MUDAR (ou RECOMEÇAR), alertando que ter essa atitude não é zerar, renascer; é seguir em frente, seguindo sendo o que somos, com nossos aprendizados, erros e acertos. E como seguir em frente após um erro ou uma dor?

Assim, começo indicando a leitura dessa matéria e paralelo a isso, conhecer a dor das personagens que a autora Nara Tosta nos apresenta, por meio de "Maria Isabel & Soraia". No final, com certeza, vocês saberão como conduzir e decidir o novo caminho.

O livro é uma bela obra de arte, tanto no aspecto literário, bem escrito; como no aspecto da arte, todo bem trabalhado, com delicadeza na fonte, diagramação; e, claro!, também, na escolha do tema, muito forte, intenso e delicado.

“Às vezes a vida toma um rumo diferente do que sonhamos, e achamos que seremos infelizes, ou que não temos sorte, ou simplesmente que a vida não nos dá a oportunidade da felicidade. Entretanto, surpresas acontecem!”. p.170

O livro é dividido em 2 contos. O primeiro narra a história de Maria Isabel; o segundo narra a história de Soraia. Os dois têm tema musical como pano de fundo ou como inspiração para o enredo.

Maria Isabel é um conto narrado em terceira pessoa, com os diálogos subconsciente, isso pode deixar o leitor confuso, causando, uma leve impressão, de às vezes, ser leitura em primeira pessoa.

Maria passa por um momento delicado no casamento. Um desgaste causando grandes reflexões internas, diálogos com o subconsciente, levando para um comportamento ilegítimo que uma sociedade extremista podem condená-la.

“[...] Deixou o pranto lavar sua alma sentada no carro, olhando o vazio a sua volta, até reagir, como sempre fazia. Respirou fundo, procurando o equilíbrio para continuar. Saiu com o carro lentamente, pensando nas palavras do marido e refletindo na ameaça de ter um caso. Era a primeira vez que pensava nisso, sem arrependimento [...]”
p. 17

Porém, este é o triunfo da escrita de Nara, fazer o leitor refletir e não julgar o erro das suas personagens. Às vezes a falha do ser humano é impulsivo, de dor e não de caráter ou dueto de personalidade.

“Adorei fazer parte de sua primeira experiência. Não se sinta culpada, a vida é assim, hoje amamos, amanhã não mais.”
p. 21

Os dois contos trabalham bem este comportamento, entretanto de formas diferentes. Os problemas são opostos e com isso, propõe uma dinâmica de compreensão peculiar, em seguida, deixa o leitor ponderando os exageros no comportamento de cada personagem.

Maria Isabel é submissa e Soraia é independente, ambas com um grande problema nos relacionamentos amorosos. Realçando, assim, que a vida é um conjunto de equilíbrio e não de extremismo.

A Nara tem uma narrativa leve, fluída, em terceira pessoa ou melhor, onisciente seletiva, onde, tanto Soraia e Maria Isabel tem acesso e expõe seus pensamentos e emoções, ao mesmo tempo, que a autora compartilha a experiência de cada protagonista.

A Soraia passa por um dor repentina, de perda, desmoronando todo seu comportamento, sua personalidade. Aos poucos, no decorrer deste luto iremos conhecer o passado da personagem e perceber que a dor é uma consequência de feridas anteriores. Uma anulação do seu ser, em respeito aos pais.

“Sua alma buscava o sentido da vida. Sentia ter sido arrancada, usurpada de toda e qualquer possibilidade de encarar o seu dia a dia como algo imprescindível e precioso. Olhava as pessoas, as coisas, sem entender o que fazia naquele mundo onde o ir e vir era o combustível da felicidade [...]” p. 86

É um conto extremamente forte, dolorido; o leitor sofre junto e às vezes tem vontade de sacudir Soraia, mas existe a linha da compreensão bem trabalhada pela autora. Os filhos e sua irmã, personagens importantes, têm um zelo e  percebem que precisam apreender o luto da mãe e não julgá-la; assim, é neste ponto, que Soraia começa a reconhecer que precisa de ajuda.

“ E agora? Está feliz por me ver deprimida, sem vontade de viver? [...]” p.88

Nara propõe com este dois contos que o leitor faça uma análise menos crítica e dogmática e tenham mais compaixão com o ser. Mesmo, que, este sejam comportamentos errantes.

Foi uma leitura admirável das irmãs; fazendo valorizar a literatura contemporânea e concluir que: os clássicos são importantes para estudos literários e conhecimentos históricos; todavia, não menos importante e muito mais prazeroso é o leitor conhecer obras de autores atuais, principalmente se querem criar o hábito da leitura, pois são sim obras bem escrita, com leveza na narrativa, com temas fortes para serem refletidos.  Fica a dica de conhecer o trabalhos autorais de “Mulheres em Cena”. 

Site - Clique Aqui



                                                                                      BY:


Leia Mais ››

O Caminho de Casa - Yaa Gyasi


ISBN-13: 9788532530592
ISBN-10: 8532530591
Ano: 2017 / Páginas: 448
Idioma: português
Editora: Rocco
Sinopse:
Nascida em Gana e criada nos Estados Unidos, a jovem Yaa Gyasi tornou-se um dos nomes mais comentados na cena literária norte-americana em 2016. Seu romance de estreia, O caminho de casa, recebeu resenhas estreladas dos mais importantes jornais e revistas do país, alcançou a disputada lista dos mais vendidos do The New York Times, foi incluído na prestigiosa lista dos 100 livros notáveis do ano do mesmo jornal e arrebanhou o prêmio PEN/Hemingway de melhor romance de estreia. Com uma narrativa poderosa e envolvente que começa no século XVIII, numa tribo africana, e vai até os Estados Unidos dos dias de hoje, Yaa mostra as consequências do comércio de escravos dos dois lados do Atlântico ao acompanhar a trajetória de duas meias-irmãs desconhecidas uma da outra, e das gerações seguintes dessa linhagem separada pela escravidão.


Sobre a autora:
Nascida em Gana e filha de um professor e uma enfermeira, Yaa Gyasi é a nova sensação da literatura mundial. Com apenas 28 anos, a jovem, que vive nos Estados Unidos desde os 2, acaba de entrar para a cobiçada lista de melhores do ano do The New York Times com seu livro “O Caminho de Casa”. Seu livro foi considerado pela Time como um dos 10 melhores de 2016, e Yaa foi nomeada uma das 5 melhores escritoras abaixo dos 35 anos pela National Book Foundation, além de estar sendo comparada com escritores de renome, como a nigeriana Chimamanda Ngozie Adichie.


Resenha:

  O livro conta a história de Effi e Esi. Duas irmãs negras, africanas, que nunca se conheceram, sequer conviveram, mas tiveram suas vidas marcadas pelo tráfico dos escravos. 

A história relata como tudo começou, no século XVIII e nos mostra o que aconteceu com cada geração de descendentes dessas mulheres. Relata ainda, como o preconceito nunca abandonou sua raça, e ainda hoje está presente em nossa sociedade. Mostra também como cada um de seus descendentes lidou com esse preconceito, suas ações, positivas ou negativas, para lidar com o problema.

  Infelizmente, relata toda a crueldade de que o ser humano é capaz, e como, em diversas vezes, em nome de Deus e em busca do poder, cometeu as piores atrocidades.

   Um livro que choca, e que emociona. Que despe o leitor de toda hipocrisia, de toda a acomodação quando tratamos de preconceito, seja ele por qual for o motivo.

   Posso afirmar, de forma convicta, que será um livro jamais esquecido por qualquer um que o leia. E que fará eternamente jus a causa que defende implicitamente, pois o ser humano é falho. E o mal que causou ficará para sempre enraizado neste povo, que sofreu e que morreu, seja no Castelo de Cape Coast, ou em qualquer lugar para que tenha sido levado.

                                                                                                                    BY:
Cristina Daitx
Letrada & Resenhista Literária
   
 

Leia Mais ››

Dândis de Selma - Nicolás Irurzun

ISBN-13: 9788551600405

ISBN-10: 8551600400
Ano: 2017 / Páginas: 172
Idioma: português 
Editora: Giostri

Sinopse:
De maneira bem-humorada, o livro narra as desventuras de Selma, que odeia futebol, mas tornou-se treinadora do Dândis FC, o pior time do campeonato amador. No caminho, cruza com o ex-namorado raivoso, com o diretor que pretende derrubá-la do cargo, com a assistente social que tem uma queda por si e com o adolescente envolvido com o crime e que quer um lugar na equipe. Por conta disso, Selma ainda é perseguida pelo delegado. Confusão à vista!


Resenha:
  Selma é uma moça formada em Educação Física que resolve mudar-se para o interior e morar com seu pai. Lá, em Peroba, ela vai trabalhar como treinadora de um time de futebol local. Ela, que não entende absolutamente nada do esporte, se vê treinando um time fracassado, com jogadores preguiçosos, e que relutam em aceitar as ordens de uma mulher. Mas Selma mostra que veio para ficar, e para revolucionar o time!

 Ela começa mudando o nome do time, que passa a se chamar Dândis, e troca os jogadores veteranos por jogadores mais jovens. É quando ela conhece Pitanga, um menino que promete ser a estrela do time, mas que tem uma vida extremamente difícil e que em função disso, tem muitos problemas com a polícia.

 E é assim que se desenrola essa história divertidíssima, pois, ao mesmo tempo que Selma tem que defender Pitanga do delegado local, tem também que enfrentar o rancor de um ex-namorado inconformado com a separação e escapar do cerco formado por uma assistente social que se apaixona por ela. 

E é nessa confusão que a cidade vê o time Clube de Regatas Portenho se tornar o famoso Dândis de Selma.
Sobre o autor:

Apesar de nascido na Argentina (no ano de 1972), o autor é paulistano e hoje vive no interior de São Paulo. Formado em jornalismo pela Universidade Metodista, de São Bernardo do Campo. Tem dois livros publicados, Ardósia e Dândis de Selma. Em contato pessoal com o autor, pude observar sua imensa simpatia, atenção e carinho com seus leitores.

                                                                                                                          BY:
Cristina Daitx
Letrada & Resenhista Literária



Leia Mais ››

Dilacerada - Helô Delgado


Ano: 2018 / Páginas: 254
Idioma: português 
Editora: Editora Coerência

Sinopse
O que você faria se alguém do seu passado voltasse para a sua vida e você tivesse que enfrentar seus traumas?


Uma família peculiar. Uma mãe rigorosa. Um romance.


Aos 27 anos, Vivian é uma adulta marcada por seu passado e leva uma vida reservada. Não confia em quase ninguém e acredita ser incapaz de amar. Quando menos espera, depara-se com uma situação delicada, a qual evita por vários anos: a necessidade de buscar ajuda profissional para falar sobre seu passado, seus sentimentos e enfrentar seus conflitos mais profundos.


RESENHA

Viviane tem uma infância traumática. Perde o pai muito cedo, o relacionamento com a mãe é muito difícil, e piora muito quando ela conhece Lucas. Apesar de ser um grande primeiro amor, diversos acontecimentos os separam.

Separada também de sua família, Viviane encontra um rumo profissional em sua vida e passa a se dedicar somente a ele e as novas amizades que fez. O amor já não faz mais parte de sua vida. Porém, quando tudo parecia estar tranquilo, o passado retorna, e todos os sentimentos de que ela tem fugido retornam com ele.

A dor, o sofrimento, e quem sabe o amor, estão de volta em sua vida. E ela então tem que lutar, contra si mesma, para superar esses traumas, e talvez, conseguir amar outra vez.


Helô Delgado nasceu no sul de Minas Gerais, há pouco mais que três décadas. É casada e possui dois filhos. Formada em Psicologia, pós-graduada em Psicanálise e Tradução, é apaixonada por literatura desde criança, principalmente por romances. Já escreveu colunas e resenhas para blogs e revistas literárias. Levou o maior susto quando seu primeiro conto foi selecionado para uma antologia e mergulhou de cabeça na nova carreira. Dilacerada é seu primeiro romance. Contos de sua autoria: Enclausurada no Inferno; Mãe e Filha, Juntas na Vida e na Morte; Um Médico Exemplar; Um Desejo Concedido; e O Baile (Ir)Real. Recentemente ganhou um concurso de publicação tradicional e como prêmio assinou contrato com a Editora Coerência.

                                                                                                                  By:
Cristina Daitx
Resenhista Literária - Letrada


Leia Mais ››

Em Poesia - Lara Braga

Mulheres em cena 

ISBN-13: 9788592320911
ISBN-10: 8592320917
Ano: 2017 / Páginas: 94
Idioma: português
Editora: Bambual


"A partir de seu universo particular e das trocas com a família, amigos, amores e consigo mesma, a poetisa Lara Braga traduz as infinitas realidades e possibilidades sutis femininas em sensações, vezes doloridas, vezes felizes, intensas e profundas. 
As poesias não ficam presas, mas dançam nas páginas ao longo do livro."


RESENHA

"E que eu possa
cada vez mais desaprender
de pensar o passado
e assim poder
Reinventar o certo pelo errado" 
Ferreira Gullar

"Dedico a primeira materialização da minha arte à Nara Tosta, minha eterna irmã e parceira de vida, sonhos soluções"

Logo, na primeira página, o livro demostra ser especial e que tem muita peculiaridade da autora.  Esta é uma verdade sempre encontrada em obras de leitura mais poética. 
Lara Braga nasceu no Rio de Janeiro. É advogada, servidora pública federal, poeta e compositora. Iniciou sua trajetória na área das artes na década de 1980, como aluna de Maria Clara Machado, no Teatro Tablado. Casou-se duas vezes, atualmente é namorada. É mãe de Tiago, 24 anos e Henrique, 22 anos.

O Livro "Em Poesia" não é uma obra de arte só de poemas, versos, musicalidade. Este, é um livro que a alma fala, sentimentos desabrocham, o amor vive.

"Metade de mim
Tão inversa e irmanada
Fruto do mesmo fruto que sou
Com a face reversa e completa
Da carne, do berço,
Do leito de fé e dor
Reparte a esperança e outros frutos
Nos desígnios que o destino nos atou
Metade de mim que dividiu
O principio, o meio
E agora alinhava o fim
Metade de mim
De som, de verso e prosa
De luz e calor
É energia
Que me encanta
És o amor e parceria
Que todo ser merece ter
Se a vida é mesmo eterna
Quero ao meu lado
Você, sempre bela
A minha querida irmã Nara".

Como dizia Hilda Hilst "um poema não se explica. É como um soco. E, se for perfeito, te alimenta para toda vida". Assim, o livro da escritora Lara é cheio de desabafo, soco para mundo, reflexão da sua alma, para a nossa alma.

Obra com 96 páginas, na qual o apreciador devora em um dia e pode também ler em um mês. É contraditório. Entretanto,  é bem assim que você sente ao tê-lo em mãos. Em um dia: pela carga de sentimento e vontade de conhecer cada versos, sem uma pausa, sem interrupção. Em um mês: pela vontade de reler e reler, sentindo cada página bem devagar, alguns quase conselhos, outros, versos lindos e encantadores, todos sendo alimento para alma.

Poemas sem regras. O leitor que optar em declamar sentirá que: diretrizes em poesia é algo que ficou no passado; hoje, a regra é não ter preceito para sentir. Assim, Lara consegue em cada página, proporcionar harmonia nos versos, beleza nas palavras selecionadas e diversão com as posições nos títulos. 

O zelo pela arte é algo surpreendente nas obras das autoras "Mulheres em Cena"; ambos livros são bem trabalhados, com folha especial; fonte agradável e diferenciado; cor rosa e decoração impecável. 

Obra linda da primeira página até a contra capa. Com possibilidades sutis feministas; infinitas sensações, sempre com intensidade no sentimento e desabafo sobre a vida, desde um cotidiano simples até algo mais denso. 

Poesia que tem movimento, de cima pra baixo; de baixo para cima; esquerda-direita; direita-esquerda.
Curiosos?

Fica a dica para os leitores, apreciadores de uma leitura sublime. 

E SE...

E se você vacila?
E se ninguém combina?
E se tudo inclina?
E se a vida ensina?
E se o sistema envolve?
E se você não love?
E se o ter importe?
E se eu não acorde?
E se eu perco o tom?
E se eu perco o chão?
E se eu esqueço o coração?
E se a vida perde a graça?
E se perco o fio da meada?
E se exergo torto?
E se não vejo o gosto?
E se tudo lodo?
E se eu fico amiúde?
E se o sistema confunde?
E se eu não ligo e mude?
[...] p. 46

E SE O LEITOR CONHECER ESTE LIVRO?
Para conhecer mais o trabalho da autora e sua irmã, clique no link abaixo.

Clique Aqui
Em breve, mais resenha, entrevistas com as irmãs e SORTEIO de seus livros. 

                                                                                   BY:




Leia Mais ››

Apenas respire & Apenas me ame - Rossana Cantarelli




Livro I: Apenas respire
Ano: 2017 / Páginas: 476
Idioma: português 
Editora: Multifoco

Isabela é uma jovem linda e realizada profissionalmente. Conseguiu trabalhar com música, que sempre foi sua grande paixão, tem excelentes amigos e uma linda família. Porém, tem sua vida pessoal marcada por uma tragédia, o que faz com que se feche para o amor e o compromisso. Isso tudo muda quando ela tem a oportunidade de trabalhar com seus ídolos da adolescência, a banda americana Dawn Sunless. Ao se mudar para Nova York para passar um tempo com a banda, surgem várias situações e ela acaba envolvida em um conturbado romance com o guitarrista Luc Bellucce. Apesar da paixão, Luc não pode assumir esse relacionamento e Isabela acaba conhecendo outra pessoa, que traz a ela um amor mais tranquilo, mais seguro. E ela se vê então dividida entre esses dois amores. Após finalmente fazer a sua escolha, Isabela encontra a paz ao lado de seu grande amor, e tem o que parece ser uma vida perfeita e feliz. Até que tudo desmorona mais uma vez..., mas agora, um reencontro, poderá mudar a sua vida.


Livro II: Apenas me ame
Ano: 2017 / Páginas: 400
Idioma: português 
Editora: Independente

Em "Apenas me ame", Isabela Alencar está de volta e nos conta como foi difícil perder novamente um grande amor. Porém, desta vez, ela não estará sozinha, e com a ajuda do amor que sente pela filha e o apoio dos amigos e família, consegue retomar sua carreira. Mas um reencontro inesperado faz com que ela consiga retomar também uma grande paixão do passado, que ela descobre estar somente adormecida. Novamente, ao lado de Luc Bellucce, ela retoma a paixão pela vida. Estar com Luc agora, mais madura, torna a relação dos dois mais segura e mais amorosa. E com a aprovação de ambos os filhos, eles engatam um relacionamento mais sério. Tudo vai bem, até que um amor do passado reaparece na vida de Luc, e pode abalar essa relação. Mas desta vez, ele não cometerá os erros do passado e não abrirá mão de seu amor tão facilmente. Ele fará de tudo para provar que Isabela foi e sempre será seu grande amor.



Sobre a autora: Rossana Cantarelli
Gaúcha, da cidade de Santa Maria; advogada; casada com Marcelo; mãe do Cassio; madrasta do Arthur.
Começou a escrever por incentivo do seu marido, pois gostava de ler e sempre soube contar histórias. Seu primeiro livro, Apenas Respire - Rock e perfume: paixão no ar, foi escrito de forma despretensiosa. No entanto, foi tomando corpo e depois de lido por algumas pessoas entendidas, foi publicado pela editora Multifoco em junho de 2016. Os livros Apenas Respire e Apenas Me Ame foram escritos em menos de seis meses!
A partir de então, Rossana nunca mais parou de escrever.
Dois outros livros serão lançados em 2018: Depois das Cinco, um romance quente; e Corujinha Pipoca, um livro infantil que escreveu a pedido do seu filho Cassio.



Curiosidade: O personagem Luc Belluce foi inspirado no guitarrista norte-americano John Petrucci, um dos fundadores da banda de metal progressivo Dream Theater junto com o ex-baterista da banda Mike Portnoy e o baixista John Myung.

                                                                                                                   BY:
Cristina Daitx
Resenhista Literária - Letrada



Leia Mais ››


© BOLG DA MARY - 2015-2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: MARY DESGN.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo